fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Celebridades

Glória Maria recebe críticas ao afirmar que “politicamente correto é um porre”

Em uma conversa com a jornalista Joyce Pascowitch, no Instagram, a apresentadora do ”Globo repórter” afirmou que acha o politicamente correto ”um saco” e que nunca se incomodou ao ser chamada de ”Neguinha” por colegas de profissão

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

A declaração de Glória Maria de que ”tudo é racismo, assédio, está chato” durante uma live realizada na última sexta-feira, dia 25, deu o que falar nas redes sociais na manhã desta terça-feira. Em uma conversa com a jornalista Joyce Pascowitch, no Instagram, a apresentadora do ”Globo repórter” afirmou que acha o politicamente correto ”um saco” e que nunca se incomodou ao ser chamada de ”Neguinha” por colegas de profissão.

“Se você quer saber, acho isso tudo, basicamente, um saco. Hoje tudo é racismo, tudo é preconceito… Eu, até hoje, na TV, tenho meus câmeras antigos, os técnicos que trabalham comigo há 40 anos, todos me chamam de ‘Neguinha’. Eu nunca me ofendi, nunca me senti discriminada. Eles me chamam de uma maneira amorosa, carinhosa. É claro que se falam ‘Ô, nega’, e não sei o quê, é outra coisa.”

Glória Maria falou sobre racismo e assédio em live no Instagram

Glória Maria falou sobre racismo e assédio em live no Instagram

“Então, hoje, tudo é preconceito, tudo é assédio. Está chato. Estou há mais de 40 anos na televisão. Já fui paquerada muitas vezes, mas nunca me senti assediada moralmente. Acho que o assédio moral é uma coisa clara, não tem dubiedade. Não tem como você interpretar. O assédio é uma coisa que te fere, é grosseiro, te machuca, te incomoda, te desmoraliza”, continuou a jornalista.

Glória ainda afirmou que, por causa da frequente discussão sobre assédio nos dias atuais, homens estão com medo de paquerar:

“A paquera… Pelo amor de Deus! Eu estou cansada desse negócio. Os homens estão com medo. Eu quero ser paquerada ainda, estou viva. Mas existe uma cultura hoje que ‘não pode’. Nós mulheres sabemos bem fazer a diferença de uma paquera para o assédio, um abuso sexual”, afirmou a jornalista, concluindo que considera o mundo de hoje ”muito chato: ”Acho que esse mundo está muito chato. Essa coisa do politicamente correto é um porre. Eu não sou politicamente correta e não vou ser, não adianta, não venho de um mundo politicamente correto.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A jornalista também explicou o que significa ser politicamente correto para ela:

“Acho que politicamente correto é o caráter, a honestidade, a sua capacidade de olhar para o outro. Isso é politicamente correto. Agora, esse mundo que a gente está, que vem muito da amargura das pessoas, da frustração das pessoas, isso eu não gosto, não aceito. Nessa eu não entro, não, sob nenhuma hipótese”.

Após as declarações polêmicas, Gloria foi duramente criticada nas redes sociais por diminuir as lutas contra o assédio, o machismo e o racismo.

”Acho muito triste uma mulher negra desmerecer a luta da mulher negra. E muito mais triste saber que esta mulher é a Glória Maria. Não é que hoje tudo é racismo: vivemos em uma sociedade racista e agora a gente grita isso. Que lindo que ela nunca sofreu racismo, mas eu sim e dói”, desabafou uma usuária do Twitter.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Apesar do ‘cancelamento’, Gloria também foi defendida nas redes por fãs.

”Glória Maria errou, mas isso não tira a importância que tem como mulher preta de sucesso e um espelho para muitos pretos que sonham em chegar lá”, afirmou um influencer digital.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade