fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

TCDF libera repasses para Hospital de Campanha da PM

Decisão publicada nesta quinta (30) autoriza a Secretaria de Saúde a fazer pagamentos à empresa que irá gerir o espaço, que conta com 84 leitos de UTI

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

A partir de amanhã o Distrito Federal deve ganhar um importante reforço no combate a covid-19 já que é neste sábado que o hospital de Campanha da Polícia Militar começa a receber pacientes acometidos da doença em 84 leitos de UTI.

Em despacho singular publicado na noite desta última quinta (30), o conselheiro do Tribunal de Contas do Distrito Federal e Territórios (TCDF) Inácio Magalhães Filho revogou a medida cautelar que proibia a Secretaria de Saúde (SES) de fazer pagamentos à Associação Saúde em Movimento (ASM), empresa que irá gerir o Hospital de Campanha da Polícia Militar do DF (PMDF).

Com a decisão, a SES poderá repassar valores à ASM, que iniciará a gestão da unidade de saúde. Montado no Centro Médico da Polícia Militar, no Setor Policial Sul, o hospital de campanha conta com 104 leitos – 84 de unidade de terapia intensiva (UTI) e 20 de enfermaria – , que serão adicionados ao sistema de saúde público do DF e poderão ser utilizados para o tratamento de pacientes com a Covid-19.

“Temos trabalhado muito desde o início da pandemia para reforçar a rede pública de saúde do Distrito Federal. Contratamos médicos e outros profissionais de saúde e investimos na criação de leitos de UTI para atender aos pacientes mais graves. A abertura do hospital da PM é muito importante para manter equilibrada a oferta de leitos de UTI”, disse o governador Ibaneis Rocha.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Da mesma forma como acontece no Hospital de Campanha do Estádio Nacional Mané Garrincha, todos os equipamentos instalados nesta unidade serão posteriormente incorporados ao patrimônio da Secretaria e servirão para reequipar e renovar o parque tecnológico dos hospitais da rede.

“É um legado importante para a saúde pública do DF. Todo esse equipamento vai continuar nos hospitais quando tudo isso passar. Essa é a maior operação que estamos fazendo nesta crise porque o Hospital da PM será a unidade com maior número de leitos para o combate à Covid-19”, explica o secretário de saúde, Francisco Araújo.

A empresa contratada vai empregar 600 profissionais, necessários para atender todos os 104 leitos disponibilizados no hospital. A quantidade inclui desde equipes operacionais a médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem. Todos os funcionários vão trabalhar em regime de escalas.

Além dos 104 leitos, a estrutura do hospital conta com 80 monitores, 50 ventiladores mecânicos e 160 bombas de infusão, além de equipamentos de proteção individual (EPIs), insumos e um aparelho de raio-x totalmente digital, mais ágil na entrega de resultados do que o aparelho convencional.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Também estão incluídos no contrato gerenciamento técnico, assistência médica multiprofissional – de forma ininterrupta –, com manutenção e insumos necessários para o funcionamento dos equipamentos e atendimento de pacientes, com medicamentos, materiais, alimentação, nutrição enteral e parenteral.

Com informações da Agência Brasília 


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade