fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Suspeito de matar Larissa confessa o crime e é indiciado por feminicídio

“Ele assumiu a autoria do crime e parecia bem arrependido”, disse o delegado

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Por Paula Beatriz

Nesta quarta-feira a Polícia Civil (PCDF) prendeu o suspeito de ter tirado a vida de Larissa Francisco Maciel, 23 anos, encontrada morta no dia 6 de janeiro em uma tenda na QR 2/4 de Candangolândia. A morte de Larissa resultou no primeiro feminicídio de 2020 no DF.

A prisão do suspeito vem cerca de 10 dias após investigações da 11ª Delegacia de Polícia (Núcleo Bandeirante).

Segundo Rafael Ferreira Bernardinho, delegado-chefe da 11ªDP, o suspeito tinha uma relação extraconjugal de dois meses com a vítima. A policia chegou no suspeito após análise do crime, denúncias anônimas e fala de testemunhas. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com o delegado a última notícia da vítima é dela no posto de gasolina e segundo as investigações o suspeito teria encontrado com a vitima no posto e os dois seguiram para tenda, que é um local público e de fácil acesso. 

“No local o suspeito ateou fogo em parte do corpo da vítima para dificultar as investigações”, disse o delegado. 

O suspeito foi indiciado pelo crime de feminicídio. “Ele assumiu a autoria do crime e parecia bem arrependido”, disse o delegado. 

Relembre

Larissa Maciel foi encontrada por volta das 7h30 por um sacerdote de uma igreja instalada na tenda. A jovem estava nua, de barriga para cima. Ela não tinha sinais de violência sexual, mas exames apontaram queimaduras na genitália da vítima, além de marcas de estrangulamento.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Testemunhas disseram à polícia que Larissa foi vista com um homem em um posto de gasolina pouco antes de ser morta.


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade