fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Sinalização é reforçada no Cruzeiro

Pontos de instalação de placas de trânsito foram identificados pelo GDF Presente; fiscalização também retira faixas que poluem visualmente a cidade

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Focadas no aumento da segurança e na despoluição visual da cidade, equipes do GDF Presente iniciaram esta semana com uma série de melhorias no Cruzeiro. Sob o suporte do Departamento de Trânsito do Distrito Federal (Detran-DF) foram instaladas ou substituídas oito placas de sinalização vertical em pontos diversos da região. Algumas estavam avariadas ou com falhas na pintura, enquanto em dois pontos foram instaladas nova indicações.

Foram duas placas de sentido de circulação na rotatória, duas de parada obrigatória, uma de permissão de estacionamento para portadores de necessidades especiais (PNE), uma de limite de velocidade, uma para estacionamento de motos e uma de proibido estacionar.

Administrador do Cruzeiro, Luiz Eduardo Gomes diz que o reforço da sinalização é revertido em qualidade de vida não só para moradores, mas também para quem circula pela região. “Tanto para o motorista quanto para o pedestre, pois isso garante a mobilidade com segurança. É uma excelente ação do GDF Presente e das empresas do governo.”

Vandalismo

Só em 2020, o Detran-DF já substituiu ou instalou 2.214 novas placas de sinalização de trânsito em todo o Distrito Federal – 388 em outubro e 184 nos primeiros dez dias deste mês de novembro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Chefe do Núcleo de Sinalização Estatigráfica do órgão, Rodrigo Pires conta que grande parte das placas é substituída em razão de pixações e depredação, entre outros tipos de vandalismo. “Estamos cotidianamente fazendo essa manutenção, em todas as regiões administrativas, com a finalidade de garantir a segurança no trânsito dos nossos cidadãos.”

Durante o trabalho, enquanto placas de sinalização de trânsito eram instaladas e renovadas, faixas de propaganda afixadas irregularmente do Cruzeiro eram retiradas pelas equipes do programa. Em um dia de atividades, 28 faixas foram arrancadas dos canteiros. Esse tipo de publicidade, além de atrapalhar a visibilidade dos motoristas e poluir a cidade, é proibido por lei e gera multas que variam de R$ 592 a R$ 1,7 mil. A fiscalização é feita pelo DF Legal.

No Plano Piloto

O programa do Governo do Distrito Federal, responsável pela manutenção diária das 33 regiões administrativas, também fez limpeza e retirada de estrutura de placas indicativas de obras em andamento e que foram vandalizadas. Os conteúdos dos equipamentos com as informações foram arrancados, de forma que só restou a armação metálica que sustentava os avisos.

Duas delas estavam no início do Lago Norte – uma em frente à Polícia Federal, no final da Asa Sul, e outra na via L2, entre as superquadras 416 e 616 Sul. “Os vândalos danificam o patrimônio público e causam prejuízos aos cofres do governo, sem contar que privam os cidadãos de informações sobre as obras promovidas na cidade”, observa o coordenador do Polo Adjacente 1, Lúcio dos Santos Barbosa, à frente do GDF Presente na região.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

As informações são da Agência Brasília




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade