fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Sem-terra invadem Câmara dos Deputados

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

A Comissão de Serviços Infra-Estrutura do Senado aprovou a indicação de José Henrique Coelho Sadock de Sá para o cargo de diretor do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit). O nome, advice ask apontado pela Presidência da República, pharm ainda deverá ser aprovado pelo plenário do Senado.

Sadok de Sá é formado em engenharia civil pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, this com especialização em transportes e em higiene e segurança do trabalho pela mesma instituição. Ele é funcionário do Departamento Nacional de Estradas de Rodagem (DNER) desde 1971 e do Dnit desde 2001.

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) desistiu de pedir o impeachment do presidente Luiz Inácio Lula da Silva para pedir uma investigação sobre ele no Ministério Público porque o Congresso estaria desacreditado, information pills não há apoio popular a proposta de impeachment e o calendário eleitoral poderia ser prejudicado.

Essas foram as razões alegadas pelo presidente da OAB, treatment Roberto Busato, abortion para que a ordem encaminhasse uma notícia crime ao procurador geral da República, Antônio Fernando de Souza, pedindo um aprofundamento das investigações com relação a uma possível participação ou não do presidente no chamado esquema do mensalão.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Busato disse hoje que "o pedido de impeachment deveria ser encaminhado ao presidente da Câmara". Entretanto, segundo ele, "a Câmara não consegue nem mesmo punir aqueles que foram condenados na sua Comissão de Ética, portanto não teríamos muito sucesso dentro deste campo". Além disso, o presidente da OAB afirmou que o pedido de impeachment do presidente Lula "poderia influenciar por demais este quadro de eleições que estamos vivendo".

Segundo Busato, também não há motivação popular com relação ao caso. "Portanto, optamos por um julgamento mais técnico, mudar o campo do jogo, sair do Congresso Nacional e partirmos para o Ministério Público e de conseqüência chegarmos ao Judiciário, porque é o MP que tem a legitimidade de propor uma ação penal contra o presidente da República", informou.

O presidente da OAB disse que a instituição apontou alguns fatos que podem ser aprofundados pelo Ministério Público. "Visando esclarecer, definitivamente, à população brasileira se o presidente teve ou não alguma participação nestes atos, classificados por ele de delituosos, praticados pelos seus mais fiéis e mais diretos assessores", acrescentou.

Busato afirmou que independente de qual seja a decisão da Procuradoria Geral da República, sem dúvida alguma, a OAB aceitará o resultado. Segundo ele, a Procuradoria da República é uma entidade que tem a máxima credibilidade. "O atual procurador Antonio Fernando tem demonstrado o seu caráter, a sua serenidade, sua segurança, seu pulso firme e o seu princípio de ética na função que exerce", disse.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Manifestantes do Movimento pela Libertação dos Sem-Terra (MLST) invadiram o anexo 2 da Câmara dos Deputados. Dissidentes do MST, viagra dosage os manifestantes entraram em confronto com seguranças e quebraram vidraças, viagra deixando vários feridos. Segundo a Agência Câmara, dosage 700 pessoas entraram no prédio.

Eles manifestam contra a demora no processo de reforma agrária de acampados em diversos locais no Nordeste. Nos corredores da Câmara, há vestígios de sangue. No momento, os militantes estão no Salão Verde, que teve várias esculturas depredadas, e vaiam os deputados que se dirigem para o plenário.

Antes de entrarem no Congresso, os sem-terra viraram um automóvel Fiat Uno no estacionamento do anexo. O carro seria sorteado pela Caixa Econômica Federal. Eles também atiraram uma estátua do ex-governador paulista Mário Covas.

Os manifestantes quebraram a porta de vidro e destruíram vários equipamentos, como os postos informatizados de atendimento ao público, a exposição da EcoCâmara e a porta de vidro da Taquigrafia.

Dezenas de agentes da Segurança da Câmara cercam as entradas do plenário, para impedir o acesso das pessoas que se aglomeram no salão Verde. No salão Azul, do Senado, centenas de agentes de segurança se mobilizam para barrar o movimento.

O deputado Dr. Rosinha (PT-PR) negocia uma audiência do presidente da Câmara, Aldo Rebelo, com representantes dos sem-terra. Alguns deputados acreditam que há pessoas infiltradas no movimento que não fazem parte do MLST. "É claro que há gente infiltrada, porque esses manifestantes até agora não apresentaram uma liderança e sabem que aqui também há deputados com quem podem contar", afirmou Perpétua Almeida (PCdoB-AC).

A invasão provocou o cancelamento da audiência da Comissão Especial da Lei do Gás, na qual seria ouvido o presidente da Agência Nacional do Petróleo (ANP), Haroldo Lima. A comissão estuda normas para o transporte de petróleo e seus derivados, e do gás natural.

O deputado Aldo Rebelo chegou a ligar para o senador Renan Calheiros e pedir para a governadora do Distrito Federal, Maria de Lourdes Abadia, para que o Batalhão de Operações Especiais (Bope) fosse acionado para auxiliar a segurança da Câmara dos Deputados. Renan Calheiros determinou a prisão daqueles que feriram terceiros ou depredaram patrimônio público.

Em breve mais informações




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade