fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Secretário de Tecnologia: “nosso desejo é democratizar o acesso”

Secretário Gilvan Máximo tem como objetivo fazer com que a internet chegue a todas as escolas públicas do DF

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Maria Regina Mouta – Agência UniCEUB/Jornal de Brasília
redacao@grupojbr.com

O Secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do Distrito Federal, Gilvan Maximo, tem a expectativa que mais de 100 mil pessoas passem pela Campus Party até domingo (23), o que demonstra o interesse dos brasilienses por atividades relacionadas ao setor. Ele entende que a principal missão da atual gestão é efetivamente democratizar o acesso à tecnologia por intermédio de projetos que atendam a comunidades mais desassistidas.

Essa inclusão faria da capital, de fato, uma “cidade inteligente e tecnológica”. Essa é, segundo Maximo, uma determinação do governador Ibaneis Rocha. “O objetivo é fazer com que a internet chegue a todas as escolas públicas”, afirmou. Confira entrevista realizada nesta sexta (21), durante a Campus Party:

Qual o maior desafio para a atual gestão no campo da tecnologia?

Gilvan Maximo – O maior desafio é lidar com o tempo, mas temos muita determinação em conseguir melhorar a capital e torná-la uma cidade inteligente. O objetivo é fazer com que a internet chegue a todas as escolas públicas

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Quais projetos podem ser implementados para dar conta desse objetivo?

GM – A Eletromobilidade, internet nas escolas, a Reciclotec, que é a reciclagem de lixo eletrônico para que depois ele possa retornar para a sociedade de outra forma entre outras parcerias e projetos futuros.

Quanto tempo demora para que projetos deem resultado nessa área?

GM – De seis a oito meses

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Estamos vendo um grande interesse do brasiliense na campus Party. Como esses projetos de tecnologia podem se reverter para comunidade?

GM – Da melhor maneira possível. Esse ano já foram apresentados 550 projetos voltados para a tecnologia. O ministério da Saúde, por exemplo, receberá um projeto novo sobre o sistema e vacinação. Teremos novos start-ups, todos voltados para a comunidade. Só nesses três dias, 93 mil pessoas já passaram por aqui e a expectativa é de que passem de 100 mil até domingo.

Hoje a tecnologia é para poucos na capital do país?

GM – Infelizmente sim, mas nosso desejo é de democratizar o acesso a tecnologia. O primeiro sonho concretizado foi o Wifi Social, para que todos tenham livre acesso à internet nas mais variadas regiões do DF (o governo pretende fornecer internet gratuita por meio de sinal WI-FI em mais de 100 pontos do DF, incluindo hospitais, as Unidades de Pronto Atendimento,  as Upas, os terminais rodoviários, feiras e estações de metrô.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade