fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Revitalização: SIG passará por reformas

A proposta vai ao encontro das atuais necessidades da região, que passou a receber novas atividades econômicas

Avatar

Publicado

em

SIG. Foto: Seduh/Divulgação
Foto: Seduh/Divulgação
PUBLICIDADE

Uma nova cara para o Setor Indústrias Gráficas (SIG), mais moderna , arborizada, com calçadas mais largas, ciclovias, estacionamentos reorganizados, maior acessibilidade e qualidade de vida, não só para quem mora próximo à região, mas, também, para quem trabalha ou circula pelo local. O projeto urbanístico da requalificação, de autoria da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação, foi apresentado ao Conselho de Planejamento Territorial e Urbano do DF (Conplan), na reunião online desta quinta-feira (12).

Por unanimidade os conselheiros aprovaram o parecer do relator, conselheiro Ovídio Maia, da Federação do Comércio do DF (Fecomércio), favorável ao projeto. A proposta vai ao encontro das atuais necessidades da região, que passou a receber novas atividades econômicas, conforme explicou o secretário Mateus Oliveira.

“Esse projeto foi muito cobrado há época da aprovação do Projeto de Lei que flexibilizou os usos do SIG . Temos a expectativa que, tão logo aprovado o projeto urbanístico, tenhamos recursos não só do orçamento do GDF, mas, também, de emendas parlamentares para execução das obras, assim como recursos oriundos do Fundo de Desenvolvimento Urbano do DF (Fundurb).

Mudanças

Entre as mudanças propostas estão o redesenho dos bolsões de estacionamento e a criação de novas vagas ao longo das vias públicas, de modo a coibir as irregularidades ao longo das faixas de rolamento, inserção de ciclovia, ampliação das calçadas, paisagismo com a criação de um canteiro central na Quadra 8, aonde fica a maioria dos restaurantes e melhoria das conexões entre o SIG e o Setor Sudoeste, e o Parque da Cidade , além do ajuste no sistema viário.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo a coordenadora de Projetos da Seduh, a arquiteta e urbanista Ana Maria Aragão, o projeto foi pensado para atender à nova dinâmica do setor de usos. “Temos empresas de telecomunicações, escola, academia de ginástica, entidades religiosas, bares e restaurantes, e o espaço urbano atual não está preparado para isso, as pessoas preferem vir de carro porque não dispõe de infraestrutura segura para vir a pé ou de bicicleta”, afirma.

Para o conselheiro Pérsio Davison, do Rodas da Paz, o projeto “qualifica o cotidiano das pessoas, respeita o ambiente, não traduz apenas como espaço de ligação motorizada, portanto apropria esse espaço para o benefício das pessoas, é um projeto muito bonito”. A conselheira Renata Florentina, da Codeplan, ressaltou que “o projeto de urbanismo ganha ao não focar apenas nos moradores próximos à região, mas, também, atender ao público circundante já eu essa é uma região central”, diz.

De acordo com a secretária executiva da Seduh , Giselle Moll, “esse projeto vem complementar a nossa Lei do SIG, na época da aprovação do PL já tínhamos esse diagnóstico que agora foi finalizado e apresentado nessa proposta de requalificação, que teve a parceria dos conselheiros do Conplan”.

O projeto urbanístico de requalificação do SIG sairá publicado no Diário Oficial do Distrito Federal (DODF) desta sexta-feira (13).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com informações da Agência Brasília




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade