fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Responsabilidade: em tempos de Covid-19 uso de máscara é fundamental

O uso obrigatório da máscara facial no DF foi instituído pelo Decreto 40.648, de 23 de abril, como uma formas de prevenir a transmissão do novo coronavírus

Catarina Lima

Publicado

em

PUBLICIDADE

A obrigatoriedade do uso de máscara nos parques da Cidade Dona Sarah Kubitschek e Olhos D’Água não foi obedecida por todos os frequentadores neste domingo. Os vigilantes dos dois locais, embora não sejam responsáveis pela fiscalização do uso do utensílio, se mostraram preocupados com a insistência de parte dos usuários em não estarem com máscaras. O uso obrigatório da máscara facial no DF foi instituído pelo Decreto 40.648, de 23 de abril, como uma formas de prevenir a transmissão do novo coronavírus.

No parque Olhos D’água é comum que as pessoas que vão ao local para correr entrem usando máscaras, mas que as retirem assim que chegam a pista de corrida. Os vigilantes que cuidam do lugar sentem falta do trabalho de orientação que era efetuado pelos voluntários da Secretaria de Esportes. De acordo com informações da Secretaria, “a ação de orientação, na reabertura dos parques do DF, pelos voluntários, cumpriu o objetivo durante o retorno das esportivas públicas. E diante da reabertura das academias e clubes esportivos, os profissionais e estagiários voltaram a atuar nos seus locais de trabalho”, explicou a Secretaria. Hoje não existem mais voluntários nos parques.

Os voluntários foram recrutados entre profissionais de educação física para auxiliar o Governo do Distrito Federal na obrigatoriedade do uso de máscaras proteção facial proibição de aglomerações. Eles percorriam os parques recomendando que esportistas não se aglomerassem e usassem máscaras.

No Parque da Cidade Dona Sara Kubistchek a situação não é diferente da de Olhos D’Águas. Embora não haja aglomerações, muitos dos usuários simplesmente ignoram a obrigatoriedade do uso de máscara.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Segundo um vigilantes, que preferiu não se identificar, a situação “está horrível no local”. “Muitas pessoas se recusam a usar a máscara. Não é mais momento de orientar, agora é preciso multar quem desobedecer.

Não teria tantos casos de coronavírus se as pessoas cumprissem as regras”, disse o profissional. Segundo ele, os corredores que vão ao parque argumentam que é impossível correr usando a máscara.

Enquanto o vigilante do Parque da Cidade reclamava da falta de colaboração por parte dos usuários, um homem sem máscara se queixava em voz alta pelo fato de os banheiros estarem fechados. O vigilante informou que os banheiros não podem ser abertos porque podem ser foco de contaminação do novo coronavírus. Mas não convenceu o usuário, que saiu em busca de um banheiro que estivesse aberto.

DF Legal

O DF Legal informou que na sexta-feira, dia 17, duas equipes fizeram uma blitz para fiscalizar o uso obrigatório da máscara no Parque da Cidade. Foram 400 abordagens ao longo do dia. O órgão disse, ainda, que milhares de máscaras foram distribuídas com apoio da Secretaria de Governo (Segov). Além das duas secretarias participam das fiscalizações a Vigilância Sanitária, a Polícia Militar e servidores da administração do Parque da Cidade. No sábado a fiscalização no local ocorreu durante todo o dia, entre 8h e 18 horas. Balanço mais recente do DF Legal informou que 89 mil pessoas já foram abordadas e 85 pessoas já foram multadas pela força tarefa da fiscalização em todo o DF, desde maio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE



Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade