fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Paco Britto: “Seguimos sob a batuta do maestro Ibaneis”

O vice-governador contraiu a covid-19 em junho e foi internado por complicações. Curou-se após recuperação em casa

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

O vice-governador do DF Paco Britto (Avante) afirmou ao Jornal de Brasília que encara a contaminação do governador Ibaneis Rocha pela covid-19 com “tranquilidade e serenidade”, mas alerta que a doença deve ser “tratada com seriedade”. “Assim ele fará”, acredita. Paco contraiu o novo coronavírus em junho e foi internado por complicações. Curou-se após recuperação em casa.

O funcionamento do Executivo local deverá ter poucas alterações, se tudo correr bem. “[Se dará] da mesma forma que presencial, usando os recursos que a tecnologia permite e sob a batuta do nosso maestro Ibaneis”, afirmou. Sujeito de fé, Paco afirmou que ele e a família sempre colocam o governador em suas orações. Desta vez não será diferente. “Vai dar tudo certo”, finalizou.

Na madrugada desta terça-feira (8), Ibaneis começou a apresentar coriza e tosse, cerca de dois dias após viajar na companhia de um amigo que estava com o vírus no organismo, mas assintomático. Este amigo avisou o governador assim que soube do diagnóstico positivo; os sintomas e o contato direto com uma pessoa contaminada levaram o governador a fazer um teste, e o resultado saiu no fim da tarde.

Segundo o estafe do GDF, Ibaneis passará por bateria de exames para detectar possíveis complicações. “O governador passa bem e segue despachando normalmente de casa”, afirma. O chefe do Executivo tem 49 anos e já fez cirurgia bariátrica para controlar o peso, o que pode ser fator de comorbidade.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A primeira-dama Mayara Noronha Rocha também fará o teste. O filho de Ibaneis, João Pedro, já fez e testou negativo. Ambos passam bem.

Infecções no GDF e na cúpula nacional

No alto escalão do DF, além de Ibaneis e Paco Britto, contraíram a covid-19 os secretários José Humberto Pires, de Governo, e André Clemente, de Economia. O ex-secretário do DF Legal Gutemberg Tosatte também testou positivo para a doença em junho, antes de ser exonerado.

O comandante-geral da Polícia Militar (PMDF), Julian Rocha Pontes, e o presidente do Instituto de Previdência dos Servidores do Distrito Federal (Iprev), Ney Ferraz Júnior, também foram infectados.

Até agora, ao menos 12 governadores – além do presidente Jair Bolsonaro, da primeira-dama Michelle Bolsonaro, do filho Jair Renan e de ministros – contraíram o vírus. Antes de Ibaneis, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), confirmou o diagnóstico e disse suspeitar de contaminação por meio de alguma embalagem recebida em casa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além deles, também já foram infectados Wilson Witzel (PSC-RJ); Helder Barbalho (MDB-PA); Paulo Câmara (PSB-PE); Renan Filho (MDB-AL); Antonio Denarium (sem partido-RR); Renato Casagrande (PSB-ES); Mauro Mendes (DEM-MT); Carlos Moisés (PSL-SC); Belivaldo Chagas (PSD-SE); Eduardo Leite (PSDB-RS); e Wilson Lima (PSC-AM).




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade