Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Novacap nega risco de desabamento na Rodoviária do Plano Piloto

João Paulo Mariano
[email protected]

A informação compartilhada, inicialmente, por redes sociais de que, parte da rodoviária do Plano Piloto poderia desabar, alarmou parte da população que retornava para casa nesta quarta-feira (10) . Entretanto, de acordo com a Companhia Urbanizadora da Nova Capital do Brasil (Novacap), não existe este risco. A Companhia informou que devido a um problema técnico com uma companhia de telefonia, uma área de 1,2 mil m² teria sido isolada como forma preventiva, a fim de evitar o trânsito de pessoas no local.

Leia Mais: Parte da Rodoviária do Plano é interditada por risco de desabamento

Na parte da manhã, a empresa Vivo fazia a instalação de cabos de fibra ótica em uma das pilastras da plataforma B, na parte inferior, virada para a Esplanada dos Ministérios. Ao perfurar a estrutura, 10 cabos de protensão – aqueles de metais que reforçam a pilastra – teriam se rompido. Mesmo com o rompimento de parte dos cabos, a Novacap, em entrevista coletiva, afirmou que não há risco “já que, são 60 cabos dentro da pilastra e apenas 15% se inutilizaram”.

Uma analise mais aprofundada da estrutura será feita nesta quinta-feira (11).

Foto: Myke Sena/Jornal de Brasília

O presidente da Novacap, Júlio Menegotto, reiterou que não há risco de desabamento e que a interdição foi feita apenas para garantir que haja menos peso sobre a pilastra.”Se ocorresse o rompimento de só um cabo ainda faríamos isso para não correr riscos”, afirmou o presidente.

“A obra foi feita sem nenhuma autorização da Novacap ou DFTrans. Os funcionários da prestadora de serviço da Vivo perceberam que tinha ocorrido um problema quando o aparelho deles apresentou defeito. Os funcionários da Novacap perceberam e foram verificar”, diz Menegotto.

Ele não soube informar quando a situação estará resolvida, apenas garantiu que, após uma nova avaliação dos órgãos envolvidos, se necessário, haverá o escoramento da pilastra para garantir que, em até cinco dias, tudo volte ao normal.

O gestor também esclareceu que o incidente não vai atrapalhar a continuação das obras que já ocorrem na rodoviária porque o problema foi específico.

Presidente da Novacap, Júlio Menegotto

Mudança nas linhas

Com a interdição de parte da plataforma B, o local de embarque de quatro linhas precisaram ser modificados. Usuários dos coletivos de linhas número 620 e 620.1, com destino à Planaltina; BRT 23.02, com destino ao Gama e, BRT 22.02, sentido Santa Maria.

O diretor geral do Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), Marcos Tadeu de Andrade, explicou que a alteração deve permanecer até que haja uma nova análise por parte dos responsáveis pela estrutura do espaço.

Versão Oficial

Em nota, a Vivo confirmou que a empresa prestadora de serviços da operadora realizou uma operação de cabeamento na Rodoviária, quando houve uma intercorrência durante a atividade.

A empresa esclareceu que está em contato com os órgãos competentes para fornecer todas as informações necessárias e tomar as medidas cabíveis. Porém, até a publicação dessa reportagem, não houve resposta sobre quem teria dado a autorização para a obra.

 

Publicidade
Publicidade
Publicidade
  • CHARGE DO DIA