fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Mercado imobiliário do DF fechará 2020 com resultado positivo

Empreendedores do setor, que vem se recuperando de crise instalada em 2014, apostam que 2021 será um ano de números ainda mais animadores

Willian Matos

Publicado

em

Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília
PUBLICIDADE

O terceiro trimestre de 2020 foi positivo para o mercado imobiliário do Distrito Federal. O setor passa por recuperação e tem boas expectativas para 2021, mesmo com a pandemia da covid-19 ainda em curso.

Empreendedores do setor apostam que o mercado registrará crescimento ainda em 2020. O grupo aposta ainda que 2021 será um ano de números ainda mais animadores.

“O mercado imobiliário do Distrito Federal finalmente retornou a um ciclo virtuoso. Aproveitando o crescimento da demanda, novos empreendimentos são ofertados, gerando um incremento das vendas e abrindo espaço para mais lançamentos”, afirma o vice-presidente do Sinduscon-DF, Adalberto Valadão Júnior. “As expectativas para 2021 são de continuidade desse cenário positivo” acrescenta.

Em 2020, a velocidade de vendas registrada em setembro é cerca de 30% maior que a do mesmo período em em 2019. No mesmo mês, foi registrado Índice de Velocidade de Vendas (IVV) de 10% no segmento residencial. Foram lançados cinco novos empreendimentos e vendidas de 351 unidades.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Considerando os números desde o início do ano, de janeiro a setembro, o mercado imobiliário do DF acumulou Valor Geral de Vendas (VGV) de R$ 1,5 bilhão. O valor é o mesmo registrado nos 12 meses de 2019.

Os números animam representes do setor imobiliário. Mesmo com a pandemia, o mercado conseguiu se recuperar de crise vinda desde 2014. “Em 2020, num primeiro momento, a pandemia trouxe muita incerteza e desafios que conseguimos atravessar”, avalia Eduardo Aroeira Almeida, presidente da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“O VGV acumulado até o terceiro trimestre, segundo a pesquisa, já supera o valor do ano inteiro de 2019 e nossa expectativa é que até o final de 2020, também superemos o Valor Geral Lançado e a quantidade de empreendimentos lançados”, acrescenta.

IVV

O IVV acompanha o desempenho do mercado imobiliário do Distrito Federal. Iniciativa conjunta da Ademi-DF com o Sinduscon-DF, a pesquisa é realizada pela Opinião Informação Estratégica. A coleta de dados é mensal, junto às construtoras e incorporadoras mais representativas do mercado. Quanto mais alto o índice, menor o tempo necessário para vender as unidades dos empreendimentos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No terceiro trimestre, o IVV manteve média de 9,5%, quase o dobro do índice de velocidade de vendas de 5% apontado como satisfatório pelo empresário. Em setembro, foram colocadas no mercado 444 novas unidades residenciais. Foram lançados novos empreendimentos em Samambaia, Park Sul e no Noroeste. No DF, as regiões que registraram maior volume de vendas foram o Noroeste (74 unidades), Santa Maria (65 unidades) e Park Sul (61 unidades).

A pesquisa do IVV também demonstra o aumento da procura por imóveis maiores: em setembro, imóveis de médio e alto padrões (com valor acima de R$ 250 mil) tiveram desempenho significativo: apartamentos de 04 quartos registraram IVV de 11,3%.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
>

“Esse é um dos efeitos da pandemia, sobre o comportamento do cidadão. A necessidade de distanciamento social e o trabalho à distância criaram um novo significado para a moradia. As pessoas passam mais tempo em suas casas, vivem a quarentena juntas, e acabam buscando mais espaço”, explica o presidente da Ademi-DF.

“A venda de apartamentos de alto padrão tem crescido de forma expressiva. Não só a pandemia fez esse tipo de imóvel se destacar pela qualidade e tamanho diferenciados, como a baixa taxa de juros tem impulsionado a compra”, acrescenta o vice-presidente do Sinduscon-DF.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os dirigentes destacam a importância do desempenho do mercado imobiliário para a economia do Distrito Federal. Ao manter as empresas funcionando e a programação de lançamentos, o setor deu contribuição decisiva para a preservação dos empregos e criação de novas vagas em 2020. “Nosso setor é um grande empregador e tem capacidade para criar novas vagas com rapidez. Manter a atividade foi muito importante nesse ano e o ritmo de lançamentos indica que vamos continuar gerando empregos em 2021”, diz Aroeira.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade