fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Manifestantes pedem a retomada das aulas presenciais em escolas privadas

Cerca de 100 veículos se reuniram nesta quarta (29). Retorno das aulas estava previsto para a última segunda (27), mas foi suspenso pelo TRT-10

Vítor Mendonça

Publicado

em

Foto: Vítor Mendonça/Jornal de Brasília
PUBLICIDADE

Errata: no dia 29 de julho, publicamos esta matéria informando que o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe/DF) havia organizado a manifestação que pediu a retomada das aulas particulares. No entanto, o Sinepe afirma que não organizou e/ou patrocinou o ato.

Segue a matéria em versão corrigida:

Cerca de 100 veículos em uma carreata a favor do retorno à aulas presenciais nas escolas privadas se dirigiu para a porta dos três poderes locais na manhã desta quarta-feira (29). Os manifestantes saíram do estacionamento do Mané Garrincha em direção ao Palácio do Buriti, Câmara Legislativa (CLDF) e Tribunal de Justiça do DF e Territórios (TJDFT).

Nos carros, os manifestantes – professores, pais e diretores de instituições de ensino – levantaram balões coloridos, buzinaram e estenderam faixas pedindo o retorno das aulas na Educação Infantil e Ensinos Fundamental e Médio.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O retorno às aulas presenciais, previsto para a última segunda-feira (27) foi suspenso pela justiça no último sábado (25) pelo Tribunal Regional do Trabalho da 10ª região (TRT-10). Desde então, o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe-DF) tenta recorrer da decisão.

Foto: Vítor Mendonça/Jornal de Brasília

Uma das apoiadoras e participante da carreata é Magna Gonzaga, 33, assistente administrativa da EMI Escola Multi-integral, no Park Way. Segundo ela, a dificuldade maior está dentro de casa, onde os filhos precisam de supervisão, mas não as recebem devido à divisão entre família e trabalho por parte dos pais.

“Nem todo mundo faz Home Office. […] É um serviço tão essencial quanto os demais que já foram abertos. Muitas famílias necessitam das escolas abertas, já que não têm parentes em Brasília e acabam contratando profissionais estranhos para ficar em suas casas”, destaca a profissional.

Ela afirma ainda que se trata também de uma questão emocional para os pequenos. “As crianças estão ficando doentes emocionalmente por ficarem presas em casa. Fora a parte pedagógica, que todas elas estão perdendo”, complementou. “Estamos muito esperançosos [de que a atividade volta antes do prazo estipulado pela justiça]. É um serviço essencial.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Após a publicação da matéria, o Sinepe enviou nota com esclarecimentos. Veja na íntegra:

O Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Distrito Federal (Sinepe-DF) informa que a carreata com proprietários de escolas e professores de Educação Infantil, ocorrida ontem (29), em frente ao Palácio do Buriti, não foi organizada (ou patrocinada) por nossa entidade, como destaca a matéria do Jornal de Brasília. O setor educacional passa por um momento extremamente difícil desde o início da pandemia, tanto com o alto índice de inadimplência, como a evasão – principalmente na educação infantil. Ainda assim, por entender a situação das escolas particulares brasileiras, defendemos a livre iniciativa de manifestação.

Temos pontuado insistentemente, junto às autoridades governamentais e jurídicas que, se nada for feito em prol da rede particular de educação infantil, muitas escolas correm o risco de falir e, consequentemente o sistema público não conseguirá absorver a demanda.

Também temos orientado as escolas particulares do Distrito Federal para um retorno seguro, lento e gradual. Para isso, elaboramos e encaminhamos para todos os estabelecimentos de ensino o “Guia de Retorno às Aulas Presenciais”, material didático, que consolida todos os protocolos e medidas específicas para auxiliar os gestores e educadores na capacitação de suas equipes.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Sinepe-DF é o representante de cerca de 570 escolas particulares, em que estão matriculados mais de 165 mil estudantes. Do total de instituições, aproximadamente 400 estabelecimentos de ensino atuam com a educação infantil.

Álvaro Domingues
Presidente do Sinepe-DF




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade