Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Homem mata mulher e em seguida tira própria vida no Recanto das Emas

Publicado

em

PUBLICIDADE

Ana Lúcia Ferreira
ana.ferreira@grupojbr.com

Uma mulher de 45 anos foi morta pelo companheiro na manhã deste sábado (13), no Recanto das Emas. Após o crime, o homem tirou a própria vida. A informação foi confirmada pela Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) ao Jornal de Brasília. O crime ocorreu por volta das 9h38, em uma residência, no conjunto 15, da Quadra 604. O autor tinha 61 anos. Ambos, foram vítimas de arma branca.

O Corpo de Bombeiros do DF (CBMDF) foi acionado para o socorro, porém ao chegar ao local, encontrou as duas vítimas já sem vida. Segundo a Polícia Militar do DF (PMDF), a mulher estaria em óbito há mais de 12 horas e o homem há pouco tempo.

A 27ª Delegacia de Polícia (Recanto das Emas) é responsável pela investigação do caso. (Colaborou Tainá Morais)

Foto: Breno Esaki/Cedoc-Jornal de Brasília

Itapoã

Na última quarta-feira (10), uma mulher foi morta a facadas pelo ex-companheiro no Itapoã. Maria Julia Inacia de Alvim levou golpes nos braços e no tórax, dentro de casa, mas não resistiu aos ferimentos e faleceu no local. O crime teria sido motivado por ciúmes. O autor, Orlando Sousa Alves entrou na casa da ex-companheira a esfaqueou na frente de duas filhas, uma delas menor de idade.

Na tentativa de fugir do local, após cometer o crime, Orlando foi abordado e espancado por populares. Ele teria sido socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado ao Hospital Regional do Paranoá (HRPa).

Divulgação

Saiba Mais

A Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social (SSP/DF) registra todos os casos de morte violenta de mulheres desde 2017 no DF são, inicialmente, registrados como feminicídio.

O DF foi a primeira unidade da federação a contar com o protocolo, que inclui crimes cometidos contra transgêneros, travestis e transexuais, e uniformiza os atendimentos realizados nas delegacias do DF.

Entre janeiro e setembro deste ano foram registradas 22 ocorrências de feminicídio. No mesmo período do ano passado, foram 13.

Para registrar queixa contra agressões, o DF conta com Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM) e núcleos de atendimento à mulher em todas as delegacias do Distrito Federal.


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade
Publicidade