Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Caso Rhuan: surge a voz da maldade

Mãe do garoto detalha com frieza o crime cometido. Jornal de Brasília obteve depoimento com exclusividade

Da redação
[email protected]

Áudios obtidos com exclusividade pela editora da versão impressa do Jornal de Brasília, Vanessa Lippelt, revelam a barbárie cometida por Rosana Auri da Silva Cândido ao assassinar friamente o próprio filho, Rhuan Maycon da Silva Castro, de apenas nove anos. As gravações foram feitas apenas duas horas após o crime.

A morte foi totalmente praticada em casa. Rosana, com a ajuda da companheira Kacyla Priscila Santiago Damasceno Pessoa, esperaram Rhuan dormir. A mãe, então, acertou a primeira facada nas costas, viu o garoto cair de joelhos no chão e depois deu outros 11 golpes no tórax, de frente para o filho.

Rosana contou, em depoimento, que conseguia ouvir o barulho da faca saindo dos ossos de Rhuan após cada movimento. Sem esboçar nenhuma emoção, ela confessa que “cortou” o filho no colchão onde o menino dormia. “Cortei primeiro a cabeça, os braços e depois as pernas.”

Abaixo, os áudios obtidos.

“Eu esfaqueei ele, o Rhuan.”

“Ele caiu morto, e aí eu me desesperei e comecei a cortar ele.”

“Cortei primeiro a cabeça, depois os braços e as pernas.”

“[Kacyla] ajudou, segurando”

Você pode gostar
Publicidade