Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Até o final do ano, as primeiras creches rurais do DF vão ser implantadas pela Emater 

Até 2022, outras seis, cada uma com capacidade para atender 30 crianças em período integral estarão em funcionamento 

Da Redação
[email protected]

Duas creches na zona rural do Distrito Federal serão implantadas pela Emater-DF até o final do ano. Elas atenderão crianças de 0 a 3 anos (30 em período integral ou 60 em dois turnos). A definição dependerá da necessidade de cada região e ficará com a Secretaria de Educação, que vai fazer a gestão dos espaços.

O projeto faz parte das metas de gestão da Emater e do Governo do DF para os próximos quatro anos. Em quase 60 anos da fundação de Brasília, essas serão as duas primeiras creches na área rural do Distrito Federal.  Até 2022, pelo menos oito devem estar em funcionamento.

“Essa é uma demanda antiga das mães trabalhadoras rurais, que tinham suas atividades prejudicadas pela falta de local para deixar os filhos”, disse a presidente da Emater-DF, Denise Fonseca. “Como mulher, mãe e gestora de uma empresa de extensão rural, vejo com muito orgulho o empenho que toda a equipe da Emater, envolvida com o projeto, vem fazendo junto a outros órgãos para resolver esse gargalo social.”

O projeto desenvolvido pela Emater envolve diversos órgãos do governo do DF. Nesta sexta-feira (12), Denise Fonseca e a coordenadora do projeto, Adriana Dutra, discutiram o assunto com a direção da Novacap. O órgão vai colaborar por meio da elaboração dos estudos técnicos necessários à execução do projeto das duas primeiras unidades.

“As crianças do campo, tanto quanto as da zona urbana, merecem receber atendimento educacional de qualidade que lhes garanta a devida estimulação. A iniciativa do GDF demonstra o compromisso da capital do país com o produtor rural”, disse Adriana.

A Emater é responsável pela obtenção de recursos de emendas parlamentares para a execução das obras e identificação dos espaços para o funcionamento das creches. A execução das obras será feita por empresas contratadas.

As duas primeiras creches previstas devem ter as obras iniciadas na primeira quinzena de setembro. 

Elas serão do tipo 1: vão funcionar em prédios que serão reformados e adaptados para receber as crianças com conforto e segurança. A reforma de cada prédio tem previsão de custo de R$ 250 mil. 

Entre as outras seis previstas para entrar em funcionamento até 2022, há também as de tipo 2, que serão construídas a partir da necessidade levantada em cada comunidade.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados em dezembro passado apontam disparidades na frequência escolar entre crianças das zonas rural e urbana – 43,4% e 54,7%, respectivamente. Essa diferença é maior na faixa etária de 0 a 3 anos: 18,3% entre as crianças da zona rural e de 35,4% entre as da zona urbana.

Com informações da Agência Brasília.

Você pode gostar
Publicidade
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *