Siga o Jornal de Brasília

Cidades

Após acordo com empresa, IGESDF aguarda posicionamento da Justiça para começar a obra de instalação do PET SCAN

O equipamento é moderno e, assim que instalado, será o único existente no DF que atenderá os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS)

Publicado

em

Publicidade

Aline Rocha
redacao@grupojbr.com

Após seis anos parado, o PET SCAN que está no Hospital de Base pode ser colocado para uso. Em 22 de maio deste ano, o Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF) assinou um acordo para colocar o equipamento em funcionamento. 

O documento foi chancelado pelo diretor-presidente do Instituto de Gestão Estratégica de Saúde do Distrito Federal (IGESDF), Francisco Araújo, o diretor comercial da empresa GE HEALTHCARE, Saulo Àreas que vendeu o equipamento.

Desde a assinatura, o Instituto busca junto ao juízo da 5ª Vara da Fazendo Pública a homologação do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), firmado entre o Instituto, a empresa fornecedora e o Ministério Público. Assim que o TAC for homologado, as obras para instalar o equipamento serão iniciadas.

Foto: Divulgação

O equipamento é moderno e serve para fazer o diagnóstico, estadiar e acompanhar pacientes oncológicos. Assim que instalado, o equipamento será o único existente no DF que atenderá os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). Ele pode realizar entre 12 a 15 exames por dia e, em diversas ocasiões, não há equipamento na rede pública que o substitua.

O PET SCAN custou US$ 1 milhão e é fruto da gestão de 2013, que adquiriu o equipamento sem o espaço adequado para a instalação. Após a celebração do TAC, que prevê todas as despesas pagas pela empresa fabricante, estima-se um prazo mínimo de seis meses para que o aparelho esteja instalado, devido às obras de engenharia necessárias.

“Estamos acompanhando todas as etapas do processo, torcendo para que tudo seja concluído o mais breve possível porque muitos pacientes necessitam desse aparelho para o diagnóstico preciso e tratamento do câncer,” declarou Francisco Araújo, presidente do instituto.


Você pode gostar
Publicidade