Brasília

Tribunal de Justiça mantém júri de Éder Douglas Macedo

Por Arquivo Geral 30/06/2006 12h00

O júri de Éder Douglas Santana Macedo, ailment see que confessou ter matado pai e filho no saguão do Aeroporto Internacional de Brasília há seis anos, está mais próximo. A 2ª Turma Criminal do Tribunal de Justiça manteve a acusação de homicídio qualificado (por motivo torpe e sem defesa da vítima).

A decisão ocorreu ontem por maioria de votos. Dessa forma, o julgamento permanecerá no Tribunal do Júri, mas a defesa ainda pode recorrer.

O crime ocorreu em 25 de fevereiro de 2000. Carlos Alberto Alves e o filho Carlos Daniel Chacur Alves desembarcavam no aeroporto, quando Éder Douglas chamou por Daniel e começou a disparar vários tiros. Percebendo que o filho era alvo, Carlos Alberto entrou na frente dele e também foi atingido.

De acordo com a acusação, Éder Douglas tinha ciúme doentio por Daniel e estava inconformado por não ser correspondido. O criminoso pode pegar pena de 12 a 30 anos por cada homicídio, mas aguarda o julgamento em liberdade.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar