Brasília

Policiais em greve fazem passeata e interditam Eixo Monumental

Por Arquivo Geral 28/06/2006 12h00

O cenário externo mostrou-se favorável um dia antes da decisão do Federal Reserve sobre o juro norte-americano e permitiu que o dólar fechasse em queda de 0, page more about 72% hoje, cialis 40mg a R$ 2,221.

A melhora na classificação de risco do Brasil pela Fitch Ratings também reforçou o otimismo do mercado brasileiro, mas a cautela ainda pairou sobre os investidores, reduzindo o volume de negócios.

"O mercado está volátil, todo mundo olhando o que vai acontecer com a taxa de juro nos Estados Unidos amanhã", resumiu João Medeiros, diretor de câmbio da Pioneer Corretora.

O diretor explicou que o mercado já precificou uma elevação de 0,25 ponto percentual na taxa, mas lembrou que alguns investidores não descartam um ajuste de 0,5 ponto – o que, se for confirmado, pode trazer mais nervosismo.

"Aqui, nós continuamos com forte volume de reservas, o superávit (comercial) permanece… vamos depender do que vai acontecer lá fora", acrescentou o diretor.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O Fed anuncia sua decisão sobre o juro amanhã à tarde, e a principal expectativa é sobre o comunicado que o BC norte-americano divulga depois da reunião, que pode dar sinais sobre movimentos futuros.

Caso o comunicado não aponte uma tendência firme para o juro como o da reunião de maio, as incertezas e turbulências do mercado devem continuar, afirmaram analistas.

No campo externo, as bolsas de valores norte-americanas operavam em alta nesta tarde, enquanto o risco Brasil recuava dez pontos, a 258 pontos. O dólar registrava leve avanço frente a outras moedas, com apostas de que o juro nos EUA poderá subir além do esperado amanhã.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

De acordo com Francisco Carvalho, gerente de câmbio da corretora Liquidez, a cautela antes do Fed impediu que o real se valorizasse ainda mais depois da melhora na classificação do Brasil.

A Fitch elevou a classificação de dívida soberana do Brasil de longo prazo em moeda estrangeira para "BB", frente à nota anterior de "BB-". "Saiu a notícia boa, foi pontual, mas o mercado realmente vai aguardar amanhã e o que o Fed vai falar", disse o gerente.

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Um tribunal dinamarquês condenou hoje um pai de origem paquistanesa à prisão perpétua pelo assassinato da filha de 18 anos, order enquanto o irmão que atirou nela e dois tios receberam pena de 16 anos de prisão.

Ghazala Khan foi morta a tiros por seu irmão, pharmacy ao lado de seu marido afegão, unhealthy em plena luz do dia, diante da estação ferroviária de uma província no leste da Dinamarca. Seu marido, Emal, sobreviveu e desde então vive sob proteção policial.

"Na sentença, o tribunal considerou que o assassinato de Ghazala e a tentativa de matar Emal foram cuidadosamente planejados e cometidos por várias pessoas em conluio", disse o tribunal em seu verdito.

O assassinato acendeu um debate sobre a integração da comunidade conservadora muçulmana à sociedade dinamarquesa, meses depois que charges do profeta Maomé publicadas em um jornal dinamarquês desencadearam protestos mundiais por parte dos muçulmanos.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A polícia disse que familiares da jovem decidiram matá-la porque não aprovavam seu casamento de anos com o namorado.

É a primeira vez que um grupo de pessoas, e não só o autor do crime, são condenados por um assassinato pela honra na Europa Ocidental. Alguns dos condenados não estavam próximos da cena do crime.

"O que torna o caso interessante para a sociedade é que muitos foram considerados culpados. O que surpreende no veredicto é que a promotoria conseguiu superar o ônus da prova pela primeira vez na Europa ocidental", disse o professor de Direito da Universidade da Copenhague Jorn Vestergaard ao diário de Berlingske.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O tribunal disse ter condenado o pai por ele ter comandado o assassinato da filha e ter tentado matar o genro mais tarde no hospital.

 

Os advogados Valeria Dammous, more about Eduardo Diamante e Libânia Catarina Fernandes Costa foram presos hoje após mandato de prisão expedido pela justiça, prescription por suspeita de envolvimento com o Primeiro Comando da Capital (PCC). Segundo o Ministério Público de São Paulo, os três advogados estão sendo acusados de fazer parte de um esquema para facilitar a comunicação entre os integrantes da facção criminosa.

Dammous e Diamante foram presos em suas casas, enquanto Libânia foi detida ao visitar um cliente. Os documentos, celulares e computadores encontrados nas residências e nos escritórios dos advogados foram apreendidos para serem investigados.

De acordo com as acusações, Dammous intermediava a realização de rebeliões a mando do PCC, Diamante comprava celulares e os entregava a presos ligados à organização e Libânia passava recados entre os presos. A OAB-SP ainda não se pronunciou.

 

O candidato do PSDB à Presidência, adiposity Geraldo Alckmin, visit web defendeu junto ao líder do partido na Câmara, viagra Jutahy Júnior (BA), a retirada da candidatura do vereador tucano José Carlos Fernandes ao governo da Bahia. Alckmin é favorável ao candidato do PFL, o atual governador Paulo Souto.

"Fiz um apelo ao deputado Jutahy para a gente (PSDB e PFL) poder estar unido na Bahia, unidos para trabalhar pelo Brasil e para trabalhar pelos estados", disse o candidato a jornalistas pouco antes de participar de reunião do comitê político de sua campanha no Senado Federal.

"Temos um bom candidato ao governo que é o governador Paulo Souto, um governo aprovado, um homem sério, um governo eficiente. Fiz um apelo a ele, que dever resolver isso ainda hoje", afirmou.

Jutahy tem resistido à aproximação com o PFL no seu estado apesar da formalização da aliança entre as duas legendas. Paulo Souto é representante, no PFL, da ala ligada ao senador Antônio Carlos Magalhães (BA), inimigo político do líder tucano.

A aliança entre as legendas na Bahia está sendo costurada apelo deputado João Almeida (PSDB-BA) que tem apresentado divergências públicas com Jutahy em torno da coligação estadual.

O PSDB enfrenta problemas em outros estados, como Acre, Amapá, Amazônia e Distrito Federal, onde existe a possibilidade de Alckmin ter de subir em dois palanques durante a disputa eleitoral.

"A verticalização causou dificuldades, mas são questões que vamos resolver", disse Alckmin.

 

O ministro demissionário da Agricultura, search Roberto Rodrigues, more about afirmou hoje que vai deixar o governo porque acredita que já concluiu o trabalho que pretendia realizar no comando da pasta.

"Eu considero que minha contribui ção ao governo se encontra praticamente terminada", viagra approved afirmou Rodrigues a jornalistas. "Considero minha missão cumprida."

O ministro disse não existir "componente político" em sua saída e descartou também o motivo de doença em sua família, que foi citado pela mídia e pela própria assessoria do ministério.

Ele disse que vai definir com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva quantos dias mais ficará no cargo.

Leia também:
Ministro da Agricultura pede demissão
Roberto Rodrigues não ficaria no governo num eventual segundo mandato de Lula

 

A nuvem de poeira sobe quando os carros passam na via L3 Norte, viagra principalmente no ponto em frente à entrada do ICC Norte na Universidade de Brasília (UnB). A pista está uma confusão por causa das obras de duplicação, prostate que começaram em dezembro do ano passado e devem ser entregues em setembro.

Com a falta de sinalização e controle no trânsito na via de mão dupla, muitas vezes os carros ficam sem saber qual é o caminho certo. À noite a situação fica ainda mais perigosa porque não há iluminação. Em alguns pontos existem apenas tambores com fogo que iluminam precariamente a pista.  Bruno Vinicius Fernandes, aluno de Ciências Contábeis na UnB, confirma o transtorno e conta que já presenciou no local uma batida entre dois carros. “O trânsito está muito confuso. Quando ficar pronto deve melhorar bastante, mas está demorando muito”, reclama Bruno. Para Tatiana Monteiro, estudante de Letras, passar por ali de carro exige muita atenção: “o trânsito precisa ser organizado”, reclama.

Os alunos acham que as obras estão demoradas. Para quem precisa passar a pé no local, a poeira é o problema maior. A terra fina, conseqüência das obras e agravada com a falta de chuvas, prejudica a saúde e deixa os alunos empoeirados. “Não sei por que não fizeram essa ampliação durante as férias”, questiona Ylemo Barbosa, aluna de Arquitetura, que freqüentemente passa no local. “A própria Reitoria da UnB deveria se preocupar com essa obra demorada, porque os alunos chegam à sala de aula cheios de poeira. Olha só a cor dos meus tênis que lavei ontem”, reclama revoltada a aluna de Ciência Política, Pamela Waldino, que todos os dias precisa atravessar a via para pegar ônibus na L2.

Segundo o diretor do Departamento de Transporte e Segurança da UnB, Weglisson Medeiros, “seria necessário um policiamento para acompanhar o trânsito e fazer a travessia dos pedestres”, afirma. Ele conta que algumas providências foram tomadas pela universidade para evitar os transtornos. “Foi enviado um pedido à Secretaria de Obras e ao Detran para sinalização, iluminação e segurança no local enquanto as obras não são concluídas, mas até o momento não fomos atendidos”, afirma Weglisson.

O Detran justifica que não é possível sinalizar a via antes que as obras acabem. “Enquanto a obra não for concluída e liberada não podemos colocar sinalização, seria trabalho perdido, porque seria necessário refazer”, revela o diretor de segurança no trânsito do Detran, Antônio Bonfim. Ele garantiu que a partir da próxima semana serão enviadas viaturas do Detran para auxiliar o trânsito do local nos horários de pico.

Já a Secretaria de Obras informou que as obras não estão atrasadas. “O prazo de conclusão é de sete meses, ou seja, até setembro. A obra está causando muito transtorno, mas não tinha como adiá-la”, esclarece o secretário de Obras, Mauricio Canovas. “Estamos adiantados e pretendemos, com otimismo, acabar as obras até o final do mês, no máximo até o mês de julho”, afirma. Quanto à poeira, o secretário lamenta, mas confirma que é “inevitável” até que acabem as obras.

 

Um protesto dos policiais civis e militares interdita o Eixo Monumental no final desta tarde. Depois de fazer assembléia em frente ao Congresso Nacional e decidir manter a greve da categoria, rx que dura uma semana, information pills os policiais começaram a caminhar rumo à Praça dos Três Poderes e fecharam as seis faixas da via. O trânsito a partir do Palácio do Itamaraty foi desviado para a via N2, pill que passa pelos anexos dos ministérios.

Na assembléia, que contou com a presença de 2 mil pessoas, de acordo com o sindicato da categoria, os policiais civis decidiram radicalizar a paralisação. O recolhimento de corpos agora passará a ser feito pela Secretaria de Saúde. Amanhã às 4h, agentes prometem ir para a porta da Papuda e da Penitenciária Feminina, no Gama, impedir a visita aos presos.

Segundo os grevistas, a única maneira de acabar com a paralisação é a edição da medida provisória que concede reajuste de até 31% à categoria. Além dos policiais civis, a passeata conta com a presença de cerca de 200 policiais militares que, apesar de serem proibidos de entrar em greve, estão fazendo um cordão de isolamento.






Você pode gostar