Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

PCDF faz operação contra grupo de autoextermínio

De acordo com as investigações da 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), o grupo ensinava às vitimas como tirar a própria vida

Por Guilherme Gomes 29/09/2021 12h08

Na manhã desta quarta-feira (29), a Polícia Civil do Distrito Federal (PCDF) prendeu um grupo de divulgava diferentes maneiras de atentar contra a própria vida.

A prisões são resultado do cumprimentos de mandados de prisão, busca e apreensão no Distrito Federal, Goiás, Rio de Janeiro, São Paulo e no interior paulista.

De acordo com as investigações da 6ª Delegacia de Polícia (Paranoá), o grupo ensinava às vitimas como tirar a própria vida. As apurações tiveram início após a morte de duas pessoas no Paranoá. Os envolvidos usavam a Dark Web, o Telegram e o WhatsApp para propagar o conteúdo.

No curso das investigações, verificou-se que uma jovem, de 19 anos, moradora do Paranoá, participava desse grupo virtual denominado CTBus—catch the bus—, expressão em inglês utilizada para se referir ao cometimento de suicídio, que veio a falecer em fevereiro deste ano, logo após ingerir substância tóxica, conforme orientação recebida pelos membros do grupo criminoso.

“A vítima, aparentemente, por meios próprios, teria ingerido a substância para testar os efeitos dela, no intuito de cometer o autoextermínio. Porém, ao perceber os efeitos graves da substância, a jovem, teria pedido socorro aos pais, ainda dentro da residência, quando contou o que havia feito. Apesar do atendimento imediato, a jovem não resistiu e veio a falecer em um hospital da Região Leste da cidade”, destaca o delegado Ricardo Viana, chefe da 6ª DP.

A apuração dos fatos ainda comprovou que alguns dos membros do grupo supostamente, associaram-se virtualmente, de forma estável e permanente, para instigar e auxiliar pessoas suscetíveis à prática do autoextermínio.

Durante as diligências, os investigadores identificaram os quatro principais membros do grupo de autoextermínio, responsáveis por fomentar a ideação suicida da vítima e morte violenta pela prática do ato extremo.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Onde procurar ajuda?

Sem custos, o Centro de Valorização da Vida (CVV) ajuda pessoas que estão com problemas psicológicos que podem levar a atitudes extremas.

As ligações para o CVV através do número 188 são gratuitas a partir de qualquer linha telefônica fixa ou celular, provenientes de qualquer cidade do estado contemplado

Com informações da PCDF

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar