Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Olimpíada de Língua Portuguesa tem professores de Brasília entre os finalistas

O concurso, que faz parte do programa Escrevendo o futuro, está em sua sétima edição e recebeu mais de 112 mil inscrições

Foto: Reprodução

Por Juliana Pimentel
[email protected]

A Olimpíada de Língua Portuguesa divulgou nesta semana a lista dos finalistas da sua sétima edição. Entre os trabalhos finalistas desenvolvidos por professores de escolas públicas de todo o Brasil, estão três professores de escolas do Distrito Federal. A partir de agora, o concurso entra em sua última etapa, que revelará os 20 vencedores nacionais.

O concurso, que faz parte do programa Escrevendo o Futuro, recebeu mais de 112 mil inscrições neste ano e teve a adesão de todos os estados brasileiros, e mais de 27 mil escolas inscritas. O objetivo é apoiar os professores da rede pública no aprimoramento das práticas de ensino de leitura e escrita.

Entre os 80 finalistas, estão os professores brasilienses Laércio Ferreira dos Santos, do CEF 34 de Ceilândia, na categoria memórias literáerias; Rozely Martins Costa, do CED 416 de Santa Maria, em documentário; e Mayara Almeida Liberino Tavares da Silva, da EC Monjolo, em poema.

Os Relatos de Prática, juntamente com a Linha do Tempo e o Álbum da Turma, apresentaram as experiências coletivas vivenciadas durante o trabalho de produção textual de cada gênero indicado pelo concurso: poema (5º ano), memórias literárias (6º e 7º), crônica (8º e 9º), documentário (1ª e 2ª séries do Ensino Médio) e artigo de opinião (3ª série do Ensino Médio)

Nesta edição, a Olimpíada trouxe uma nova forma com ênfase na valorização da prática e do trabalho desenvolvido pelos docentes, e no reconhecimento de produções dos alunos de forma coletiva.

Para cada categoria foram criados encontros virtuais para a etapa semifinal, onde professores e alunos classificados participaram de debates, palestras e atividades culturais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A comissão julgadora da etapa final é composta por especialistas em língua portuguesa com experiência em trabalhos dessa natureza e familiaridade com o ensino e prática de leitura e escrita. Também irão avaliar os trabalhos representantes de instituições parceiras.

A premiação para os docentes são notebooks, e tablets para os estudantes. Também serão premiadas as escolas dos vencedores com acervos de livros para a biblioteca e placas de homenagem.

O Programa Escrevendo o Futuro é realizado pelo Itaú Social com a coordenação técnica do CENPEC. Conta com a parceria do MEC (Ministério da Educação), da Undime (União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação), do Consed (Conselho Nacional de Secretários de Educação), da Fundação Roberto Marinho e do Canal Futura.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar