Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Negócios inovadores crescem no DF, segundo Brasil Startups

Ação faz parte do projeto Startup Brasília 2030, que conta com apoio e financiamento da Fundação de Apoio à Pesquisa e Inovação do DF

Foto: Divulgação

A Associação das Startups e Empreendedores Digitais (Brasil Startups) impulsionou novos negócios em 2021, com a promoção de ações voltadas à inovação. O objetivo é unir os mais diversos atores do ecossistema do empreendedorismo por meio de ações que promovam capacitação, mais interações entre os stakeholders, e ofereçam ambientes propícios para novos negócios.

Com três edições do evento Brasília Innovation Week, engajou mais de 80 startups, com mais de mil participantes, 764 horas de mentoria, 10 expositores e R$8 milhões em negócios conectados.

A ação integra o projeto Startup Brasília 2030 (SB2030), realizado e financiado pela Fundação de Apoio à Pesquisa e Inovação do Distrito Federal (FAPDF) e executado pela Brasil Startups.

O empreendedor de startups nas áreas de saúde e finanças, Israel Sena viu nas mentorias e meetups oferecidos pela associação a possibilidade de reconectar a sua iniciativa com o ecossistema de inovação do Distrito Federal. Cofundador da plataforma digital de Saúde (healthtech) ‘Cartão Sempre Amigo’, foi um dos empreendedores que foram beneficiados com os eventos.

“No primeiro meetup que eu participei das healthtechs eu conheci o Fernando Pacheco, um cara super conectado com o mercado financeiro de Brasília. Através dele consegui avançar em uma conversa com uma instituição financeira e dei um upgrade no produto oferecido pelo meu empreendimento”, relata o empreendedor.

Na visão de Israel, o principal benefício que o ajudou foi o networking. “Também me conectei através da apresentação em um evento na Biotic com o diretor de Inovação do Banco de Brasília (BRB), Jefferson Okamoto, e ele também conheceu minha iniciativa e demonstrou interesse. Essa questão de estar retornando com os eventos presenciais também é muito legal”, garante.

O Cartão Sempre Amigo conecta pessoas das classes C, D e E com as instituições de saúde por preços acessíveis. Assim, o usuário pode ter acesso a consulta a partir de mensalidades de R$29.90. A plataforma já funciona há um ano e já beneficiou mais de 2.400 pessoas. “Fomos selecionados entre as melhores 10 startups da região Centro-Oeste pelo projeto Capital Empreendedor.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Além disso, também estamos no ranking de 50 startups promissoras do país pela iniciativa Startup Summit, do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa (SEBRAE/SC).

Outra iniciativa de sucesso do Israel é a plataforma VemMoney Saúde, uma fintech que disponibiliza microcrédito de até R$10 mil para pacientes que conseguirem realizar exames complexos e cirurgias. Além disso, esse benefício também pode servir para quando a pessoa não tem condições financeiras de realizar procedimentos mais simples. O pagamento pode ser feito em até 36 vezes através de parceria com instituições financeiras.

O empreendedor da área de healthtech e fintech afirma que conheceu a Brasil Startups através das redes sociais, pela página do Instagram. “Gostei pra caramba da iniciativa. Conheci bem em um momento que queria me reconectar com o ecossistema de inovação de Brasília. Já trabalhei com algumas iniciativas de meetups, mas na área de empreendedorismo social nas universidades”, conta.

Israel recomenda as iniciativas da Brasil Startups para iniciativas que querem se conectar com o ecossistema de inovação do DF. “Acredito que as startups em todos os estágios iniciais e até mesmo as experientes podem se beneficiar. É possível conectar os negócios com outros empreendimentos mais experientes e também com instituições financeiras e mentores”, completa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Outras empresas também conseguiram se destacar como a Startup Panda Pet, de apenas 10 meses de existência, que através das conexões criadas no Brasília Innovation Week e dos empreendedores que gerenciam a startup, a Brasil Startups pôde fazer a ponte entre o Panda Pet e o Instituto Brasília de Tecnologia e Inovação – IBTI, que levou mais tecnologia, e implementação de Inteligência Artificial para a empresa.

O CEO da startup Panda Pet, Lucas Silva, conta que conseguiu apoio tecnológico e financeiro participando dos encontros e eventos promovidos pela Brasil Startups, fazendo pits para apresentar o negócio a investidores. “Conhecer a Brasil Startup não só agregou no meu negócio como também em minha pessoa. Cada palestra me permitiu abrir o leque e pensar melhor a longo prazo, nos projetos de expansão, no relacionamento entre cliente e empresa. E, o melhor de tudo, me permitiu criar laços e conhecer pessoas que estão no mesmo barco e nesse mesmo oceano que é o empreendedorismo”, afirma Lucas.








Você pode gostar