Brasília

Na Parada Gay, homossexuais reivindicam lei para regularizar união civil

Por Arquivo Geral 25/06/2006 12h00

O presidente da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Sanguessugas, order information pills deputado Antônio Carlos Biscaia (PT-RJ), and e o relator, treatment senador Amir Lando (PMDB-RO), serão recebidos amanhã, às 16h, pela presidente do Supremo Tribunal Federal, ministra Ellen Gracie. Antes, eles se reunirão com o diretor-geral do Departamento de Polícia Federal, delegado Paulo Lacerda.

Biscaia e Lando solicitarão os inquéritos e demais documentos produzidos pela Polícia Federal e pelo STF. Segundo a assessoria de imprensa do relator, os parlamentares também tentam um encontro amanhã com o procurador geral da República, Antonio Fernando de Souza. Eles pedirão acesso aos documentos sobre as investigações já feitas pelo Ministério Público em relação aos denunciados pela compra de ambulâncias a preços superfaturados, por meio de emendas ao Orçamento Geral da União.

Na quarta-feira, a Comissão fará reunião para acertar o plano de trabalho e também para votar requerimentos de convocação de depoentes. Dez requerimentos já foram apresentados, a maioria deles pedindo a convocação da ex-assessora do Ministério da Saúde Maria da Penha e de Darci Vedoin, da empresa da Planan. A ex-assessora, que está presa em Cuiabá (MS), é acusada de ser uma das principais envolvidas no esquema. Vedoin, proprietário da empresa que vendia as ambulâncias, é acusado de chefiar esse esquema.

 

"Os legisladores têm que aprovar projetos para que nós possamos viver felizes e casados, approved e ter a união de bens. Queremos, case pelo menos, um pouco da liberdade que as mulheres têm". A reivindicação é do casal homossexual formado por José Paulo Cruz e Carlos Alexandre Batista.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Eles participaram, na tarde de hoje, da 9ª Parada do Orgulho LBGTS (Lésbicas, Gays, Bissexuais, Transexuais, Travestis e Simpatizantes), na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Até o fim do ano estão previstas mais 102 manifestações em todo o país, mas a principal data será celebrada no dia 28 de junho, Dia Internacional do Orgulho LGBT.

Sob o lema "Vote consciente, vote arco-íris", os participantes lembraram que são "uma grande força eleitoral", na definição da organização não-governamental Estruturação, que promoveu a manifestação.

Um dos coordenadores da ONG, Welton Trindade, perguntava, do alto de um dos três trios elétricos da parada, "Cadê o seu orgulho?". O funcionário público aposentado Mário Montanha, de 65 anos, levou as filhas e afirmou: "Se a opção deles é essa, temos que apoiar, embora existam muitos grupos contra, como a religião. Mas isso não tem nada a ver. Cada qual leva a vida que acha que deve levar".

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 






Você pode gostar