Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Governador recua sobre vacinação de adolescentes de 13 anos

“Por precaução, decidi seguir a recomendação do Ministério da Saúde e suspendi a vacinação”, declarou Ibaneis

Por Willian Matos 16/09/2021 1h22
Foto: Reprodução

Após anunciar que manteria a vacinação de adolescentes e que ampliaria a faixa etária, o governador Ibaneis Rocha voltou atrás e suspendeu a imunização para jovens de 13 anos. De acordo com o estafe de Ibaneis, quem tem 14 anos ou mais seguirá podendo se vacinar.

“Hoje, mais cedo, anunciei que a vacinação chegaria aos público de 13 anos, a partir desta sexta-feira (17). Mas, por precaução, decidi seguir a recomendação do Ministério da Saúde e suspendi a vacinação”, declarou o governador.

Ibaneis citou que um jovem morador de São Paulo passou mal após ser vacinado, mas não deu mais detalhes sobre o caso. “Por isso, vamos aguardar as novas orientações do Ministério da Saúde, que nos informará, ainda nesta sexta-feira, como prosseguir”.

A Secretaria de Saúde deve dar mais detalhes da decisão em entrevista coletiva na tarde de hoje. No Distrito Federal, a vacinação de adolescentes vinha sendo ampliada conforme a chegada de mais vacinas da Pfizer — o único imunizante permitido para menores de idade. Jovens de 14 e 15 anos foram autorizados a se vacinarem nesta quarta (15).

Por que a suspensão?

A decisão do Ministério da Saúde de suspender a vacinação de adolescentes sem comorbidades consta em nota informativa publicada na noite de quarta-feira (12). A pasta elenca seis razões para a medida.

Uma das razões, segundo o Ministério é o fato de a Organização Mundial de Saúde (OMS) não recomendar a imunização de crianças e adolescentes. A pasta alega também que “a maioria dos adolescentes sem comorbidades acometidos pela covid-19 apresentam evolução benigna” e são assintomáticos ou têm sintomas leves.

Ainda de acordo com o Ministério, “os benefícios da vacinação em adolescentes sem comorbidades ainda não estão claramente definidos”. A pasta também leva em consideração a redução na média móvel de casos e óbitos por covid-19 no Brasil após a aceleração da vacinação de adultos nos últimos meses.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar