Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Golpe do motoboy: PCDF chega a grupo de estelionatários em São Paulo

Policiais apreenderam 80 carros de luxo provenientes dos golpes. Bando mantinha uma central telefônica na capital paulista que coordenava os crimes

Por Willian Matos 03/09/2021 7h37
Foto: Divulgação/PCDF

A Polícia Civil (PCDF) conseguiu localizar a raiz de um grupo de estelionatários que cometiam o “golpe do motoboy” no Distrito Federal. Na quinta-feira (2), policiais foram até São Paulo para realizar a Operação Captis e cumprir quatro mandados de prisão temporária e 21 de busca e apreensão. As ordens foram cumpridas em São Caetano do Sul-SP, Guarujá-SP e no DF. Um homem foi preso em flagrante por porte ilegal de arma de fogo.

As investigações se iniciaram ainda em 2018, quando a PCDF descobriu que estelionatários se passavam por funcionários de bancos para aplicar golpes. Eles ligavam para uma vítima (geralmente pessoa idosa), afirmavam que o cartão bancário dela havia sido clonado e dizia que um motoboy iria até a casa dela para recolher o objeto por questões de segurança. Quando a vítima entregava, o bando acabava tomando posse dos dados bancários. A partir daí, eles usavam os cartões em grandes atacadistas para comprar celulares, televisores e outros aparelhos eletrônicos. À época, a Polícia Civil do DF conseguiu prender 12 membros do grupo criminoso.

A PCDF seguiu investigando o caso e identificou que quem coordenava toda a ação se mantinha em São Paulo-SP. Havia uma central telefônica na capital paulista que geria as chamadas falsas e também controlava toda a movimentação financeira feita pelos estelionatários assim que eles conseguiam os cartões das vítimas. O bando atuava não só no DF, mas em todo o país.

As apurações apontam que o grupo tinha apenas um pequeno lava-jato em 2018 e, dois anos depois, conseguiu estabelecer uma rede de lojas de carros de luxo, faturando quase R$ 14 milhões em 2020. Entre os itens apreendidos pelos policiais na quinta (2), estão 80 veículos de luxo, de marcas como Porsche, Mercedes-Benz e BMW. Também foram apreendidos cerca de R$ 580 mil em espécie.

O delegado responsável pela operação fala sobre o caso:


CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar