Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

GDF mobiliza empresários para construção dos hospitais de campanha

O governador disse que doações eliminam a burocracia para a construção dos hospitais. Além disso, Ibaneis espera anunciar, na próxima semana, outros empresários que se comprometeram a ajudar no combate à Covid

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), utilizou as redes sociais para fazer um agradecimento às instituições e empresários que contribuíram com as doações para agilizar a construção dos novos hospitais de campanha. Por meio do Twitter, o mandatário destacou o comprometimento e ajuda no que chamou de ‘verdadeira cruzada’. “Estamos mobilizando os empresários do DF para que façam doações e nos ajudem a construir hospitais que ficarão acoplados as atuais estruturas, de forma definitiva”, escreveu.

“Já confirmaram suas contribuições o Sindicato do Comércio Varejista de Materiais de Construção do DF, a Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção do DF, o Marcelo Braconi Rocha Oliveira, a Voetur Cargas e a Tarea Gerenciamento, além do Banco de Brasília”, escreveu Ibaneis.

O governador disse que doações eliminam a burocracia para a construção dos hospitais. Além disso, Ibaneis espera anunciar, na próxima semana, outros empresários que se comprometeram a ajudar no combate à Covid.

Hospitais de campanha

Com apenas 20 dias úteis para entregar as unidades montadas, as empresas responsáveis pela construção dos três hospitais de campanha, localizados no Plano Piloto, Gama e Ceilândia, aceleraram as obras. Neste sábado (27) e domingo (28) trabalham 39 operários, o objetivo é entregar o quanto antes o reforço no combate à covid-19.

No empreendimento do Autódromo Internacional Nelson Piquet foi feita a demarcação do local, confecção do cálcio do piso e a colocação dos alambrados. Já no centro olímpico do Gama, a área foi limpa e está sendo preparada para os serviços. Na Escola Parque Anísio Teixeira, em Ceilândia, os trabalhadores deram início à montagem da tenda de 1.500 metros.

Cada um dos hospitais vai dispor de 100 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), totalizando 300 leitos a mais para acolher e tratar as vítimas da doença. Atualmente, o DF tem 597 leitos para o tratamento do coronavírus, segundo dados da Secretaria de Saúde (SES) atualizados às 12h10 deste sábado (27).

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Estruturas

Os três hospitais de campanha serão administrados pela SES. As unidades vão contar com leitos de suporte ventilatório pulmonar e também outros equipamentos hospitalares, além de profissionais de saúde necessários para o seu pleno funcionamento. A contratação prevê custos com locação, montagem, manutenção e desmontagem das estruturas, bem como a execução das instalações prediais dos hospitais.

Tanto a unidade do Plano Piloto, que será erguida no Autódromo Internacional Nelson Piquet, quanto a de Ceilândia, a ser montada na Escola Parque Anísio Teixeira, estão a cargo da empresa DMDL Montagens de Stands Ltda, que apresentou valor de R$ 6.597.500 por cada um dos lotes.

Já a unidade do Gama vai ocupar o centro olímpico e será construída pela Paleta Engenharia e Construções Ltda, que propôs o custo de R$ 6.875.000 no pregão eletrônico promovido pela Companhia Urbanizadora da Nova Capital (Novacap).

Com informações da Agência Brasília

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar