Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Casa onde mulher foi estuprada por seis homens pertence a PM do DF

Crime ocorreu em Águas Lindas de Goiás no último fim de semana. Irineu Marques Dias, subtenente da PMDF proprietário da residência, está preso

Imagem ilustrativa/reprodução

A casa onde uma mulher de 25 anos foi vítima de estupro coletivo pertence ao subtenente da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), Irineu Marques Dias. A residência fica em Águas Lindas de Goiás-GO. O crime aconteceu no último sábado (9).

A informação sobre a casa foi confirmada pela delegada Tamires Teixeira, responsável pela investigação, ao portal G1. O PM Irineu, o irmão dele, Daniel Marques Dias, de 37 anos, e Thiago de Castro Muniz, de 36 anos, estão presos preventivamente. A vítima reconheceu que eles são três dos seis abusadores.

Resta saber agora quem são os outros três envolvidos. A defesa do trio já preso solicitou liberação deles, mas o juiz Rodrigo Victor Foureaux Soares, que cuida do caso, negou o pedido alegando que o relato da vítima é “assustador” e que o caso é de “grande repercussão social”. “É necessária uma atuação rígida do Estado, no sentido de desestimular a prática de qualquer crime”, disse.

A defesa alega que o policial dono da casa estava trabalhando no momento do crime e só teria chegado ao local na manhã de domingo (10).

O crime

A vítima foi convidada para uma festa na última sexta-feira (8), na casa de Irineu, e ficou no local até o dia amanhecer. O convite teria sido feito por um amigo. Em seguida, logo de manhã, duas mulheres chamaram ela para descansar em um quarto. O evento que começou na sexta se prolongaria até domingo, por isso o convite para que pudesse descansar.

A jovem contou que, ao entrar no cômodo, as duas mulheres saíram e um homem armado entrou no quarto. Ele começou a tirar a roupa dele e da vítima e a estuprou em seguida.

A mulher relatou ainda que, após a agressão, o suspeito deixou a arma dentro de um guarda-roupa e saiu do quarto. Logo depois, outros homens passaram a se revezar para abusar sexualmente dela. A vítima disse que gritou por socorro diversas vezes, mas não foi atendida.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Depois dos abusos ela conseguiu fugir usando a camiseta do subtenente. Ela acionou a polícia, recebeu os primeiros socorros do Corpo de Bombeiros e foi levada à delegacia da região para registro da ocorrência.








Você pode gostar