Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Brasília

Caçada a “Novo Lázaro” entra no terceiro dia

Wanderson assassinou e degolou a facadas a companheira Raniere Aranha, 19 anos, e a enteada Geysa Aranha, 2 anos e 9 meses

Willian Matos e Tereza Neuberger
[email protected]

As buscas por Wanderson Mota Protácio, de 21 anos, chegaram ao terceiro dia nesta quarta-feira (1º). Suspeito de matar a mulher grávida, a enteada e um fazendeiro Abadiânia-GO, Wanderson está foragido desde o último domingo, o que amedronta moradores da região.

Wanderson assassinou e degolou a facadas a companheira Raniere Aranha, 19 anos, e a enteada Geysa Aranha, 2 anos e 9 meses, na noite do último domingo (28), em Corumbá de Goiás, localizada a cerca de 124 km de Brasília. O criminoso também invadiu a fazenda vizinha, roubou a arma do fazendeiro Roberto Clemente de Matos, 73 anos, e atirou contra ele. O homem também disparou contra a esposa de Roberto, Cristina Nascimento da Silva, 45 anos, que sobreviveu.

Outro fator que preocupa moradores é a semelhança com o “Caso Lázaro”: em junho deste ano, Lázaro Barbosa de Sousa cometeu uma chacina contra uma família que vivia em uma chácara no Incra 9, em Ceilândia, e conseguiu fugir de mais de 200 policiais durante 20 dias entre as regiões de mata de Ceilândia, Águas Lindas de Goiás e Cocalzinho de Goiás. Durante os dias de fuga, Lázaro invadiu e roubou fazendas, trocou tiros, sequestrou moradores e mobilizou polícia e imprensa antes de ser morto em confronto com policiais.

Na terça (30), um morador disse ter visto Wanderson em sua fazenda no dia anterior. O criminoso teria sido avistado atrás de uma árvore. Os residentes correram para dentro da casa e se trancaram; o suspeito, então, foi até a janela e um dos moradores o espantou.

O dono de outra propriedade rural em Abadiânia foi ao local na terça (30) após supostamente ter visto o homem através de câmeras de segurança. Nas imagens o suposto criminoso aparece rondando a propriedade e estaria vestido com uma camiseta azul, calça jeans e usando um boné azul. O dono acionou a polícia, mas não há confirmações de que de fato o homem visto seja Wanderson.

A PCGO pede para que qualquer informação que possa ajudar na elucidação dos fatos sejam repassadas por meio dos telefones: (62) 98595-6557 ou 197.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Medo e revolta marcam velório

Nesta terça-feira (30), Cemitério São Miguel, em Corumbá de Goiás-GO, familiares e amigos foram se despedir de Raniere Aranha, de 19 anos, e da filha Geysa Aranha, de 2 anos e 9 meses, cruelmente assassinadas por Wanderson.

Raniere, que estava grávida de 4 meses do assassino, estava morando com ele há apenas 5 meses. Familiares da vítima afirmam que não esperavam que ele seria capaz de cometer um ato tão cruel. “Ninguém sabia que ele era um monstro”, afirma a madrinha de Raniere, em suas redes sociais.








Você pode gostar