Brasília

Balanço bimestral da Operação Quinto Mandamento é divulgado

Quase 2 mil pessoas foram abordadas em ações coordenadas pelas forças de segurança do DF

Foto: Divulgação/SSP

De acordo com os dados apresentados no balanço bimestral da operação Quinto Mandamento, duas mil abordagens pessoais foram realizadas, 500 veículos foram fiscalizados, 270 estabelecimentos comerciais vistoriados, além de outros 154 orientados sobre a importância das saídas de emergência para evitar acidentes no primeiro bimestre de 2021.

Coordenada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP), a ação, que ocorre de forma contínua aos finais de semana, tem como objetivo a redução dos crimes contra a vida – homicídio, lesão corporal seguida de morte e latrocínio. A operação reúne representantes das forças de segurança – polícias Civil (PCDF) e Militar (PMDF), Departamento de Trânsito (Detran) e Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF) –, da Secretaria DF Legal e do Departamento de Estradas de Rodagem (DER).

“A Quinto Mandamento foi pensada para que os números de crimes contra a vida sejam cada vez menores”, explica o secretário de Segurança Pública, Anderson Torres. “A atuação das polícias e a presença do Estado nessas regiões refletem numa maior sensação de segurança por parte da população. Além disso, as ações acabam resultando na apreensão de drogas e armas, contribuindo ainda com a redução de crimes contra o patrimônio, como roubos e furtos.”

Os locais da operação são definidos a partir de análise técnica, levando em consideração aqueles com maior incidência criminal, e também por meio de relatórios de inteligência policial preparados pelas subsecretarias de Inteligência (SI) e de Gestão da Informação (SGI). A coordenação fica por conta da Subsecretaria de Operações Integradas (Sopi) – todas essas unidades vinculadas à SSP.

Nos últimos dois meses, as equipes estiveram em Samambaia, Ceilândia, Sol Nascente/Pôr do Sol, Taguatinga, Gama, São Sebastião, Paranoá/Itapoã, Planaltina, Sobradinho, Santa Maria, Núcleo Bandeirante/Candangolândia, Vicente Pires, Brazlândia, Sobradinho II/Fercal, Guará e Estrutural.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Abordagens policiais

O efetivo empregado na operação durante esse período chegou a 1.263 servidores, com uso de 458 viaturas. De forma conjunta, a PMDF e a PCDF abordaram 1.980 pessoas e fizeram a checagem de 190 veículos. “Durante as abordagens, tanto pessoais quanto veiculares, é feita a verificação de documentos, como Carteira de Habilitação e registro do veículo”, informa o secretário executivo de Segurança Pública, Júlio Danilo. “Os policiais atestam ainda se há mandado de prisão em aberto. Esse trabalho é essencial para retirar das ruas indivíduos com algum envolvimento com o crime”.

Bombeiros

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Nesses dois meses, os bombeiros fiscalizaram 154 estabelecimentos comerciais. Um deles foi notificado e outros 66 receberam orientações sobre a importância de manter em dia a documentação e cumprir exigências, como sinalização das saídas de emergência.

Detran

O Detran, com apoio do DER e da PMDF, consultou 281 veículos durante abordagens em pontos de bloqueios colocados na entrada e saída das cidades. Foram emitidas 234 autuações, tendo sido removidos 34 veículos ao depósito por apresentarem inconsistências. “É muito importante poder contribuir com a redução de crimes no DF e ainda reforçar as ações para diminuir acidentes de trânsito”, avalia o diretor de Fiscalização do DER, Sinomar Ribeiro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

DF Legal

Com apoio policial, a Secretaria DF Legal abordou 270 estabelecimentos comerciais. O número de comércios fechados por aglomeração de pessoas, falta de uso de máscaras e menores de idade no local foi 56. Outros 54 foram interditados.

“Estamos participando junto aos órgãos de segurança desde o início da Quinto Mandamento, e nesse período focamos em ações de fiscalização das medidas sanitárias para evitar a covid-19, além de verificar documentação, como licenciamento”, complementa o subsecretário de Atividades Econômicas da DF Legal, Francinaldo Oliveira.

As informações são da Agência Brasília

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar