Menu
Brasília

Água Quente recebe ação contra a dengue

Desde o início do ano, a região administrativa com pouco mais de 30 mil habitantes registrou 196 casos de dengue

Redação Jornal de Brasília

11/04/2024 16h53

Foto: Agência Brasília

A região de Água Quente recebeu, nesta quinta-feira (11), mais uma ação de combate à dengue. Pela manhã, equipes de diferentes órgãos do Governo do Distrito Federal (GDF) percorreram endereços para inspecionar residências e estabelecimentos comerciais com o objetivo de identificar e eliminar possíveis focos do mosquitos Aedes aegypti.

Desde o início do ano, a cidade com pouco mais de 30 mil habitantes registrou 196 casos de dengue. Em todo o DF, já são mais de 201,3 mil notificações de infectados, sendo 191 mil casos prováveis e 205 óbitos em decorrência da doença. Os dados são da Secretaria de Saúde (SES-DF).

A força-tarefa contou com a participação de servidores da Vigilância Ambiental, do Corpo de Bombeiros Militar do DF (CBMDF) e da Secretaria de Proteção da Ordem Urbanística (DF Legal), sob coordenação da Administração Regional de Água Quente.

Durante a ação, além do trabalho porta a porta das equipes do GDF, o Serviço de Limpeza Urbana (SLU) também atuou no recolhimento de resíduos, entulhos e inservíveis. Foram retiradas 200 toneladas de lixo e restos de construção civil descartados irregularmente nas ruas e que poderiam contribuir para o surgimento de criadouros do vetor da doença.

O secretário-executivo das Cidades, Cláudio José Trinchão Santos, destacou o empenho do GDF na luta para combater o avanço da doença em todo território. “Além do Dia D de combate à dengue, nós estamos fazendo ações pontuais e mutirões especialmente em algumas regiões em que os índices estão muito altos”, disse.

“Temos aqui, hoje, a congregação de esforços em Água Quente, uma cidade distante e recém-criada, mas nem por isso vamos deixar de nos fazer presentes. São vários órgãos envolvidos nessa luta, nessa guerra contra a dengue, uma guerra que estamos ganhando”, prosseguiu o secretário.

Vistoria

Os endereços escolhidos pelos servidores para realização das vistorias contemplam pontos estratégicos da cidade, como áreas de grande incidência de casos, estabelecimentos comerciais, borracharias e depósitos de lixo e entulho.

“Atuamos conforme o mapeamento que é feito por meio dos resultados obtidos com as 69 ovitrampas que temos na região. Focamos nossa atuação nas áreas mais positivas, ou seja, com maior incidência de ovos sequestrados”, explicou a chefe do Núcleo de Vigilância Ambiental do Recanto das Emas, Simone Reis Pires.

As ovitrampas são armadilhas para captura dos ovos do mosquito vetor da dengue. O equipamento utiliza uma mistura de levedo de cerveja, inseticida e água para atrair as fêmeas do mosquito, que depositam seus ovos no local.

Recém-chegado à cidade, o mestre de obras Ivan Batista Soares, de 42 anos, abriu a porta para que as equipes da Vigilância Ambiental pudessem vistoriar sua residência: “Eles são sempre bem-vindos. Estão aqui para cuidar da gente”, destacou. “Ter esse cuidado é muito bom. Já peguei dengue uma vez e foi péssimo. Portanto, quanto mais a gente puder ajudar a evitar a doença, melhor”.

Durante a visita, os moradores também são orientados sobre os cuidados que devem tomar para evitar a proliferação do mosquito. O trabalho é realizado com frequência pela Administração Regional de Água Quente.

“Nós passamos avisando os moradores sobre a importância dessa limpeza para a prevenção e também buscamos conscientizá-los para que deixem as equipes de Vigilância Ambiental e os bombeiros entrarem em suas residências para checarem eventuais focos do mosquito”, detalhou a administradora da cidade, Lúcia Gomes.

As informações são da Agência Brasília

    Você também pode gostar

    Assine nossa newsletter e
    mantenha-se bem informado