fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Brasil

Governo de SP adia parcialmente apresentação de dados da Coronavac

Sinovac Biotech, parceira do Butantan, que produz a vacina contra a covid-19, pediu que os números sejam divulgados simultaneamente

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

O Governo de São Paulo teve de adiar a apresentação de alguns dos dados relativos à eficácia da vacina Coronavac. Havia a expectativa de que o Instituto Butantan explanasse, às 16h desta quarta-feira (23), mostrasse todos os números.

Entretanto, o diretor do Butantan, Dimas Covas, ressaltou que o instituto Sinovac Biotech pede que os dados sejam apresentados simultaneamente por todos os países parceiros. A medida, inclusive, está prevista em contrato, afirmou Covas, em entrevista coletiva nesta quarta (23).

Sendo assim, os dados completos, como a porcentagem da eficácia, por exemplo, devem ser apresentados em até 15 dias. “Vamos fazer no tempo oportuno, e esperamos que seja o mais rápido possível”, projetou Covas.

“Recebemos os dados de eficácia ontem. Atingimos o limiar da eficácia, que permite o processo de solicitação de uso emergencial, seja aqui no Brasil ou na China. Temos um contrato com a Sinovac que especifica que o anúncio desse número precisa ser feito em conjunto. Ontem mesmo apresentamos esses números à nossa parceira, que, no entanto, solicitou que não houvesse a divulgação do número. Eles precisam analisar cada um dos casos. Para que isso fosse possível, solicitaram a transferência da base de dados. Essa base de dados foi transferida na manhã de hoje, para que eles possam proceder essa análise o mais rapidamente possível. Solicitaram o prazo de 15 dias para que isso aconteça, mas acreditamos piamente que essa data será adiantada.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O cronograma de vacinação, que deve ser iniciado no dia 25 de janeiro, não foi alterado.

Efeitos colaterais

Embora não possa apresentar os dados completos, Dimas Covas afirmou que os pacientes que receberam doses da vacina tiveram efeitos colaterais leves. O mais recorrente foi dor no braço, local da aplicação. Também houve febre controlada, segundo o presidente do Butantan, mas em “porcentagem muito pequena”, garante Covas.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O diretor disse ainda que a Coronavac é a vacina mais segura de todas que estão em testes. O secretário de Saúde de SP, Jean Gorinchteyn assegurou que o imunizante atingiu os índices exigidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e pela Organização Mundial de Saúde (OMS).

Mais doses

Também foi confirmado pelo governador que o Estado vai receber mais 5,5 milhões de doses do imunizante na quinta-feira, 24, véspera de Natal. A entrega de novos lotes já está agendada. Serão 400 mil doses no dia 28 e mais 1,6 milhão no dia 30.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Considerando o que já está armazenado no Butantã, Doria esperar somar cerca de 10,8 milhões de doses da vacina contra o novo coronavírus até o dia 30 de dezembro. Já a expectativa do Ministério da Saúde é de que, nos próximos meses, o País tenha acesso a 46 milhões de doses do imunizante, das quais 9 milhões seriam entregues em janeiro, 15 milhões em fevereiro e 22 milhões em março de 2021. O Butantã diz que pode entregar até 100 milhões de doses da Coronavac ao ministério até maio.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade