Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Quer empreender, trabalhar e viver em Portugal com segurança e tranquilidade?

Abimael Junior (Jota), empreendedor brasileiro que criou o Método DPP em Portugal, dá boas dicas de como dar o primeiro passo

Por Daiany Nasteoli 11/10/2023 3h46
Foto: arquivo pessoal

Transformar ideias em realidade, inovar e tornar-se dono do próprio negócio pode ser complexo em qualquer lugar do mundo, concordam? Antes de começar, é preciso muito planejamento, visão de negócio, determinação e, além disso, pessoas certas para nos guiar. E quando se trata de colocar estes planos em prática em outro país? Esse também é o seu sonho?

Na coluna de hoje, vou te mostrar como proceder para economizar tempo e dinheiro e quais erros você não deve cometer antes de tomar a decisão de morar, trabalhar ou empreender em Portugal, nas palavras de quem entende do assunto, foi e mora lá: empreendedor brasileiro Abimael Junior (Jota), que empreende e mora em Portugal há quase 20 anos.

Atenção, leitores: qualquer pessoa que esteja considerando imigrar para Portugal não pode deixar de ler atentamente este texto. Por isso, abra um bom vinho (português, é claro!), relaxe e boa leitura!

“Morar fora não é reconhecer os seus limites, é esticá-los um pouquinho mais, dia após dia. É descobrir que você pode ir muito além. É ralar para ser reconhecido onde você é apenas mais um e reconhecer que ser apenas mais um pode ser muito para quem chegou a ser ninguém”

Abimael Junior (Jota)

Será que vale a pena deixar o Brasil e ir morar em Portugal?
Esta é uma pergunta que muitos brasileiros têm feito ultimamente. Um importante fator a considerar quando se pensa em viver na Europa é que Portugal é considerado o país com o processo para obter a residência legal mais simples e aberto aos brasileiros. Portugal é o país mais escolhido por brasileiros que decidem morar na Europa, e graças aos acordos que o Brasil tem com os portugueses, alguns dos trâmites legais para viver aqui foram facilitados. O idioma também é um ponto importante, já que auxilia na comunicação e adaptação em geral.

Em Portugal, os brasileiros podem ter uma maior qualidade de vida e a oportunidade de receber salários mais dignos e muito superiores aos do Brasil. A vida também é mais calma e segura, mesmo nas metrópoles como Lisboa e Porto. Além disso, a qualidade da saúde e da educação pública faz de Portugal um país ideal para começar uma família. Eu diria que aqui é o lugar para quem deseja uma mudança de vida autêntica e tem forte desejo de recomeçar em outro lugar.

Outra vantagem é o fato de estar em meio à Europa, com possibilidade de realizar viagens e passeios encantadores. Portugal também é reconhecido por sua deliciosa gastronomia, vinhos de alta qualidade, riquíssima história e legado cultural. E quem vem, pode conferir como os portugueses são um povo muito acolhedor e simpático.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Qual a sua primeira dica para quem quer imigrar para Portugal?
Planejamento é fundamental. Por mais aventureira que uma pessoa possa ser, é um tanto insano não se organizar para uma empreitada dessas, sobretudo às questões que envolvem a parte financeira.

Existe algum tipo de visto para empreendedores ou investidores?
Para quem é empreendedor e investidor existe o Golden Visa e visto de empreendedor. O Golden Visa é destinado a quem quer investir em Portugal, sendo necessário adquirir um imóvel com valor acima de 350 mil euros ou montar uma empresa com, no mínimo, dez postos de trabalho e investimento inicial de pelo menos 250 mil euros. A grande vantagem para quem pode cumprir com uma dessas condições é o processo rápido para obter esse tipo de visto.

Mas há outra opção caso você seja um empreendedor sem o capital necessário para solicitar um Golden Visa. O visto para empreendedores não exige capital social mínimo, apenas um plano de negócios e investimentos. Os interessados devem abrir uma empresa no país, o que custa em torno de 200 euros.

Sabemos que a mudança para um novo país não são só flores. Quais foram os seus maiores desafios? Conte-nos um pouco da sua trajetória.
Vejo sempre pessoas imigrando para cá. Muitas delas vêm com aquele sonho de chegar e ser o melhor na sua área, mas, em muitos casos, se frustram por não saberem alguns caminhos ou por onde iniciar o seu trajeto. Desde 2007, quando resolvi morar definitivamente em Portugal, trilhei alguns caminhos que me ensinaram muito, e hoje decidi contar toda minha trajetória de vida morando e empreendendo na Europa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Meu primeiro trabalho nessa época foi com pintura e pequenas reformas. Iniciei primeiro na minha própria casa. À época, minha mãe e meu padrasto pagavam uma determinada pessoa que vinha à nossa casa e não fazia o trabalho correto. Enxergando essa oportunidade, lembrei que, na minha infância e adolescência, tive uma convivência muito próxima a meu tio Paulo, que me ensinou muito sobre pinturas em geral e reformas. Já na minha mentalidade de empreendedor, coloquei isso em prática. A partir daí, vizinhos que passavam na rua viam o quão ficou bom o que eu tinha feito e me começaram a me convidar a fazer as obras das casas deles.

Passada essa fase, chegou o meu tempo de legalização — e isso eu só conseguiria através de um contrato de trabalho. Essa parte se tornou para mim um aprendizado, porque comecei a receber muitos ‘nãos’ e portas fechadas por ser imigrante e não ter as documentações de Portugal. Mas, com muito esforço, consegui o meu primeiro contrato de trabalho em um restaurante como barman.

Em seguida, a mesma empresa do restaurante me convidou para vendas de carros. Passados alguns messes nas vendas de veículos, fui convidado por um amigo a fazer parte de uma equipe de vendas de telefonia. Gerenciei uma equipe de 20 pessoas, fazendo boas vendas e adquirindo mais conhecimento. Em grandes empresas, sempre há bons formadores. Isso foi muito benéfico para minha trajetória de vida.

Assim, conhecendo mais pessoas nas ruas e vendo o crescimento imobiliário aqui na Ilha da Madeira, me despertou o interesse por vendas no mercado imobiliário. Foi aí que, a convite de um novo amigo, vim a fazer parte da sua equipe de vendas. O mercado imobiliário é cativante, mas de altos e baixos. Então, fui também desenvolvendo algumas ações no mercado digital, que não possuía a força que tem hoje.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Aliado a isso, fiz cursos de vinhos com diversos enólogos, o que me despertou o sonho de ter meu próprio restaurante. Como em todo sonho, temos que correr atrás e idealizar um projeto à nossa maneira, com a nossa identidade. Fui pesquisar no mercado e me surgiu a ideia de idealizar um projeto que juntasse a cultura brasileira com um pouco da culinária portuguesa. Daí, surgiu o meu primeiro empreendimento, o Açaí Wine & Food.

Depois desses longos anos de experiência e conhecimento, você criou um curso, um método. Como e por que você iniciou esse projeto?
Diante dos altos e baixos que vivi, decidi passar todo meu conhecimento para ajudar pessoas que desejavam morar e empreender aqui em Portugal com mais tranquilidade. Nesse curso, detalho o passo a passo de como empreender e economizar tempo e dinheiro com essa mentoria. Ele é baseado na minha longa jornada de aprendizados e experiências. Posso falar que, hoje, em Portugal, conheço desde o presidente da Ilha da Madeira ao senhor que limpa nossas ruas.

Foi uma trajetória de erros e acertos que me levaram a economizar um bom dinheiro e realizar o meu sonho, que era abrir meu próprio negócio. Por não saber algumas etapas, gastei além da conta, e isso me fez levar todo o meu projeto e meu sonho a um prejuízo de mais de 100 mil euros.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Atualmente, vejo muitas noticias de brasileiros que estão imigrando para Portugal e encontram uma realidade totalmente diferente. Eles acompanham pessoas por mídias sociais que nem sempre relatam da maneira correta como e onde buscar o primeiro trabalho, como empreendedores podem expor seus projetos e ter auxilio de empresas e até mesmo do governo em determinados setores. Além dos próprios imigrantes, muitos portugueses não têm esse conhecimento, e eu só vim adquirir essa sabedoria quando vi todo meu projeto e sonho se afundando e de fazer total liquidação de tudo que tinha e honrar meus fornecedores. Mas isso só me fortaleceu, e hoje trago o total conhecimento para não deixar que ninguém cometa os mesmos erros que cometi.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Qual o nome do método? Como ele foi idealizado?
Chama-se “Método DPP (De Pessoa Pra Pessoa)”. Criei-o para que as pessoas tenham acesso a todas as informações importantes sobre Portugal antes mesmo de sair do Brasil, tornando a migração mais segura e confortável, com visto de trabalho legal e até mesmo emprego fixo antes de chegar aqui.

Hoje, temos uma lista enorme de pessoas que buscam sair do Brasil já com a segurança de chegar aqui com trabalho e moradia. Muitos empregadores já estão exigindo o visto de trabalho ou visto de procura de trabalho e já não estão aceitando aquelas pessoas que entraram no país como turistas e depois arriscam procurar de trabalho. O governo português deu essa vantagem ao público brasileiro para poder vir contratado, mas, para isso, a empresa tem que enviar o contrato de trabalho para essa pessoa no Brasil. Esse é o caminho legal, e é dessa maneira que instruo os meus mentorados.

O método entrega:

  • Planejamento para empreendedores;
  • Planejamento para estruturar e iniciar seu negócio em Portugal;
  • Planejamento para quem quer morar e trabalhar em Portugal;
  • Referenciamento para parceiros e empresas específicas;
  • Referenciamento para os diversos setores de legalização (advogados, finanças, bancos, segurança social entre outros setores governamentais);
  • Referenciamento para moradia (compra e aluguel de imóveis);
  • Referenciamento para trabalho específico;
  • Referenciamento para trabalhos informais.

Muito obrigada pela entrevista, Jota! Parabéns pelo seu trabalho e coragem. Eu já morei fora do Brasil por um tempo, em Brisbane, na Austrália, e posso dizer que, como afirma um autor desconhecido, “morar fora é conhecer muito mais a si mesmo. É amadurecer e ver um mundo de possibilidades à sua frente. É perceber que é possível, sim, fazer tudo aquilo que você sempre sonhou e que parecia tão surreal. É notar que o mundo está na sua cara e você pode conhecê-lo inteiro. É ver seus objetivos mudarem. É mudar de ideia. É colocar em prática. É sentir sua mente se abrir muito mais, em todos os momentos. Viver experiências únicas e se vê aberto para a vida. É não ter medo de arriscar. É aceitar desafios constantes. É se sentir na “Terra do Nunca” e não querer voltar. É pensar em voltar e não conseguir se imaginar no mesmo lugar. Morar em outro país é se surpreender consigo mesmo. É se descobrir e notar que, na verdade, você não conhecia a fundo algo que sempre achou que conhecia muito bem: você mesmo.”

“O preço é alto. A gente se questiona, a gente se culpa, a gente se angustia. Mas o destino, a vida e o peito às vezes pedem que a gente embarque. Alguns não vão. Mas nós, que fomos, viemos e iremos, não estamos livres do medo e de tantas fraquezas. Mas estamos para sempre livres do medo de nunca termos tentado. Você jamais será o mesmo se um dia decidir voltar pra sua terra.”

Ruth Manus, escritora, advogada e palestrante

“Somente quando temos coragem suficiente para explorar a escuridão, descobrimos o poder infinito de nossa própria luz.”

Brené Brown, pesquisadora norte-americana

Até a próxima, amados leitores.

Contatos do Jota:
Instagram | site oficial | Hotmart






Você pode gostar