Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Quinto Ato

Precisamos do Super-homem, urgente!

Por Theófilo Silva 06/05/2021 10h59
Precisamos do Super-homem, urgente!

Resolvi voltar à minha infância, e mergulhei nos filmes e revistas em quadrinhos de super-heróis, à procura de consolo para amenizar o sofrimento por conta da escalada de crimes provocada pelos vilões incrustados nos três poderes da República. Muito embora a paixão por gibis não seja apenas coisa de crianças e adolescentes, mas de algo que nos acompanha por quase toda vida. Estão aí os filmes da Marvel e DC Comics, com suas bilheterias recordes, para comprovar isso. É que, para não entrar em desespero, não bastasse o surto de peste, só mesmo uma fantasia de criança para evitar que enlouqueçamos diante do que vemos todos os dias, nesse país doentio, dominado por vilões de terno e gravata.

Na luta entre o Bem e o Mal, a narrativa que domina o universo da cultura pop, HQ, as histórias em quadrinhos, todo mundo tem um super-herói predileto. Eu tenho três: o Fantasma, o Homem Aranha e o Super-homem. Mas o Superman, o homem de aço, é o meu favorito. Até mesmo porque ele é o único que tem superpoderes suficientes para enfrentar os perversos e perigosíssimos vilões que detonam o Brasil. Acho que nem o Homem Aranha, nem o Fantasma seriam páreo para esses assassinos, que matam os brasileiros sem dar um único tiro. Já que eles fazem isso roubando os impostos pagos pelo povo, sendo chancelados pelo poder judiciário, o mais execrável de todos os poderes da República, isso porque não aplica a lei, não faz justiça. Não agem como guardiões da galáxia, ou seja, como guardiães da constituição. Daí, é que meu sonho era que o Superman interferisse nisso, já que estamos sucumbindo.

Mas super-heróis precisam de vilões para combater. É isso que nos diz Stan Lee, o maior criador de personagens do universo Pop. Na luta contra o Mal, no universo HQ, os super-heróis sempre derrotam o vilão no final da história. E os vilões provocam enormes estragos: destroem cidades, explodem represas, roubam bancos, contaminam o ar, desviam aviões, sequestram chefes de estado… Enfim, provocam caos e destruição! Mas aí, aparece um super-herói, como Batman, em Gothan City, Homem Aranha, em Nova York e o Superman e a acaba com a farra.

Entre os muitos vilões que tentam por a humanidade sob o domínio do mal, estão Lex Luthor, o Pinguim e o Coringa, inimigos mortais do Superman. Mas o Superman, causando suspense e excitação em nós, acaba derrotando-os, usando seus superpoderes: o de voar, visão de Raio X e de calor, o supersopro e a superaudição… Daí que meu sonho era vê-lo usando a visão de Raio X, mostrando na TV, em horário nobre, um político corrupto recebendo uma mala de dinheiro. Ou usando a super-audição para mostrar um juiz ladrão vendendo uma liminar ou uma sentença. Em seguida, o Superman apareceria em praça pública com o canalha pendurado pela gravata e sendo entregue a multidão. Ah, como seria belo e redentor ver isso!

Gostaria que vocês, leitores, dessem uma boa olhada nos vilões brasileiros, nos canalhas, ladrões que trabalham para que o Brasil seja uma República de Bananas. Esses que a imprensa séria nos mostra todos os dias. Tentem comparar seus rostos, estereótipos, fenótipos, cacoetes, forma de agir com as dos vilões desses gibis! Vejam se muitos deles não apresentam as mesmas características dos vilões desses filmes! Afinal, quem criou essas personagens foram desenhistas, cartunistas, artistas que tiram suas ideias dos perversos que eles veem todos os dias pelo mundo. Inclusive, o nosso presidente tem cacoetes e ar de deboche iguais ao do Coringa e do Pinguim.

Peço que deem uma boa olhada no maior dos vilões da cultura pop, Darth Vader, de Guerra nas Estrelas. Trata-se de um vilão inspirado em Ricardo III, Edmundo e Iago, os mais cruéis de todos os vilões de Shakespeare. Vejam como o comportamento deles é igual ao dos vilões togados, inimigos do Brasil, que premiam os corruptos e prendem os mais fracos. Olhem a capa preta de Darth Vader, que parece uma toga, se não bate com a desses vilões que se dizem guardiães da constituição. Sei que estou com fantasias de criança, mas que mais posso fazer, para acabar com a dor e vergonha de ser brasileiro? Já que Deus não quer interferir, nos abandonou, deixou o demônio tomar de conta do Brasil, só me resta sonhar como uma criança!

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar