Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

O Caso Prevent Senior – Parte II

O que vocês acham desse estribilho: “Nascemos para trilhar, um caminho a desbravar. Nascemos para viver, de lutas até morrer”.

Por Theófilo Silva 06/10/2021 3h37
O Caso Prevent Senior - Parte II

Heróico, não é mesmo? Parece letra de alguma canção militar, de soldados que se preparam para uma batalha, seja na Roma antiga, seja na Segunda Guerra Mundial, de bravos guerreiros que estão prontos para morrer pela pátria com armas na mão! Mas… Ledo engano, não se trata de refrão de militares, mas do hino da Prevent Senior, que era cantada pelos seus médicos para demonstrar amor à empresa. Alguém já viu algo mais absurdo e desrespeitoso com a comunidade médica? Amigos meus, médicos, ao saberem desse fato ficaram chocados com tamanho desrespeito à categoria a que pertencem. Médicos se comportando como aprendizes de militares ou escoteiros numa profissão que é exatamente antípoda da de guerreiros: ou seja, salvar vidas e não tirá-las!

Esse Plano de Saúde que é proprietário de hospitais voltado para o mercado do tratamento de idosos, que oferece um preço abaixo de todos os concorrentes, está cercado de acusações que chegam de todos os lados, demonstrando que a empresa adotou uma política criminosa de tratamento de seus pacientes num dos momentos mais difíceis porque passa a humanidade: o da pandemia de Coronavírus que já matou mais de 600 mil brasileiros. E pior, a grande maioria desses mortos são exatamente os mais fracos, ou seja, os idosos.

Está cada vez mais claro que a empresa foi criada com o único objetivo de dar lucro, sem se preocupar com a saúde daqueles a quem se comprometia cuidar. Os médicos trabalhavam por produção, com metas a cumprir, como vendedores que precisam mostrar resultados! Ou seja, vendas! De quantos pacientes atendiam por hora, ou em um plantão. Pra eles, médico que demorasse mais de três minutos, isso mesmo, três minutos, acreditem, em uma consulta, era considerado ineficiente e precisava mudar sua conduta. Fala-se que, quando ocorria uma morte, um óbito, já que é esse o eufemismo usado para denominar nossa partida para o além, eles diziam que “Óbito também é alta”. Um horror! A empresa pegou os cidadãos mais frágeis, os mais velhos, os mais sofridos, com doenças de alta taxa de letalidade e lhes ofereceu esperança, mas tratou-os como bichos, como cobaias que já estão prestes a morrer mesmo, entregando-os aos Deus dará, numa experiência macabra, digna de filmes de terror.

O pior é que tudo isso teve a cumplicidade da ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar, que nada fez para evitar a catástrofe. Foi preciso um grupo de médicos montar um dossiê e denunciarem a política criminosa da empresa. Assim, o cerco a Prevent Senior e os Hospitais Santa Maggiore está se fechando. Não bastasse a CPI do Senado, a Câmara Municipal de São Paulo também abriu uma CPI e o Ministério Público também destacou oito promotores de justiça para entrarem no caso E assim muitas e muitas outras ações estão acontecendo. Por mais que o Brasil seja um país onde Justiça seja apenas uma palavra, está difícil da Prevent Senior não pagar pelos seus crimes.

Agora vejam isso: pois não é que os donos da Prevent Senior, os irmãos Parrillo, são Roqueiros, donos e membros de uma Banda de Rock! Daquelas em que todos são cabeludos de ar juvenil, visual estilo Viking, ar de despreocupação, de quem se diverte tocando e cantando, disseminando alegrias para todos. Bandas de Rock são a rebeldia em ação, pois são contrárias ao Status Quo, pois parecem combater a crueldade do mundo… No entanto, no caso aqui, a banda da Prevent Senior veio para tocar a marcha fúnebre! Como disse muito bem um “fã” deles: “Essa banda é de matar!”.

Aí, só posso citar os versos de Shakespeare, em o Mercador de Veneza: “As mais brilhantes aparências podem encobrir as mais vulgares realidades. O mundo vive sempre enganado pelos ornamentos. Em justiça, qual é a causa impura e corrupta a que uma voz persuasiva, apresentando-a com habilidade, dissimular o odioso aspecto?”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE








Você pode gostar