fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Coluna Marcelo Chaves

Empresário Pedro Abdalla diz como está se reinventando no período de pandemia

Marcelo Chaves

Publicado

em

PUBLICIDADE

Produtor e CEO da 3 Models Agency, o empresário Pedro Abdalla, 37 anos, mesmo com as dificuldades trazidas pela pandemia de covid-19, está conseguindo se reinventar no trabalho e no cotidiano. Pedro diz que na agência de modelos que comanda, os efeitos já começaram a ser sentidos no final do ano passado. “Os ventos da pandemia começaram a ser soprados para nós final de 2019, começo de 2020. Como trabalhamos com o mercado internacional, já estávamos por dentro do que estava acontecendo na China, e, que logo se espalharia pela Ásia e pelo mundo. Era inevitável”, diz.

No dia 17 de março, já com o vírus presente no Brasil, ele resolveu fechar a agência e adotar o trabalho em home office para toda a equipe. “Comecei a me inteirar sobre tudo, me aproximei de todos os meus clientes, participei de várias lives com pessoas do mundo todo para saber como ficaria meu mercado. Minha preocupação começava com o atendimento ao público até o pincel que a maquiadora usaria para maquiar. Estudei todo o mercado e me informei sobre todos os detalhes. E, aos poucos, desenhamos como seria nosso funcionamento da agência durante essa triste pandemia.”

“A quarentena e pandemia de coronavírus mudou completamente o mercado da moda e publicidade. Quem não entender ou insistir em erros do passado, provavelmente não vai passar para a próxima fase. Como produtor, aproveitei o momento para estudar, ler e pesquisar. O mercado internacional ainda abre esse ano, já estou preparando modelos para embarcar ainda em 2020. O momento pandemia me fez focar em mim e na minha empresa. Consegui manter todas as contas em dia e mantive todos os meus funcionários. Todos estão com salários, ajuda de custo e comissões em dia”, destacou.

Sobre o problema mundial, ele diz ter fé. “Acredito em dias melhores e que tudo isso irá passar. Também acredito na moda e publicidade local. Brasília tem muito para crescer e acho que agora é união de todas as classes. Temos que fazer o mercado girar com responsabilidade, ajudar os pequenos comércios, artistas locais e valorizar a nossa cultura”. Pedro também diz que aprendeu muita coisa com o período enfrentado. “Como ser humano, a quarentena me despertou prazeres como cozinhar e experimentar novas receitas. Agora tenho um cachorro que era um sonho antigo que consegui realizar.”

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Fotos: Arquivo Pessoal


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade