Siga o Jornal de Brasília

Mandando a Letra

As palavras e a semântica

Publicado

em

Publicidade

A gente escreve palavras que perdem o sentido original, que ficam presos lá num espaço de tempo longínquo. Outras adotam significados diferentes dependendo do lugar pelo qual estão passeando. É normal. Não adianta segurar.

Semântica e pragmática

Vamos falar um pouquinho só, um pouquinho mesmo, já que é um assunto que demanda livros e semestres de estudo, de semântica e pragmática pra entender essa ideia do que as palavras significam originalmente e em seus contextos.

A semântica estuda, grosso modo, o que as palavras querem dizer. Nela você vai saber os diferentes contextos do seu uso e essa mudança do significado, como falei acima. A pragmática já mostra a necessidade de inserir a palavra, ou até uma frase, numa situação específica para determinar seu conteúdo.

As palavras e a semântica

Algumas palavras são interessantes com relação a exemplos disso. Primeiro, vamos ver a palavra “ridículo”. Essencialmente, ela quer dizer (para espanto de alguns) “risível”. Sim, algo engraçado, que dá vontade de rir. Mas acho que a ideia que vem primeiro na cabeça, hoje, é de algo com valor baixo.

Nesse sentido, se alguém disser que você está ridícula, depois de se fantasiar de palhaça, então atingiu seu objetivo, não é? E aquela piada que tio João contou? “Ridícula”. E agora? Tia Maria gostou ou não da piada? Pela pragmática, precisaremos analisar suas expressões e entonação.

Medíocre

Legal também é o caso da palavra “medíocre”. Algumas vezes, ainda com alunos na Universidade de Brasília, antes da hora queriam saber o resultado da avaliação de trabalhos. Muitos perguntavam como foi seu desempenho. Se eu respondia “medíocre”, morriam de medo. Mas essa resposta era dirigida aos que tiraram uma nota média. Esse é o primeiro significado da palavra.

Todavia, assim como o “ridículo”, medíocre tem oferecido essa alternativa semântica. Na maioria das vezes, algo medíocre é visto como de baixa qualidade, sem valor expressivo e até incapaz. São as possibilidades.

Bastante

Também podemos lidar nesse campo com o substantivo/adjetivo “bastante”. Primeiramente, ele significa “a quantidade suficiente”, “o que basta”. Todavia, tem sido usado como sinônimo de “muito”. Já passou pela situação de alguém perguntar se tinha muita gente na festa e o interlocutor responder: “Bastante”? Estava cheia a comemoração ou havia pessoas suficientes? Não é fascinante?

Com esse jogo de significados, trabalha-se com ironia, piadas ou até engodos para divulgar boatos, conseguir vendas, curtidas, compartilhamentos etc.


Você pode gostar
Publicidade