Siga o Jornal de Brasília

Mandando a Letra

A ABL derrapou?

Publicado

em

Publicidade

Depois do Novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, algumas alterações, na prática, mostraram suas caras. Hifens, prefixos e acentos entraram em ação e nos fizeram pensar a partir de exemplos práticos.

Vamos tratar de acentos diferenciais

Poderíamos dizer que não há mais acentos diferenciais na língua portuguesa. Entretanto, não é verdade, porque se mantiveram os que estão em “pôde” e “pôr”, para diferenciar o tempo verbal no primeiro e a classe gramatical no segundo (de verbo para preposição).

É lógico que os acentos diferenciais servem para mostrar a distinção entre palavras que se escrevem igualmente. Sem eles, pode-se criar uma confusão. Mesmo assim, os pensadores do Acordo chegaram a uma conclusão de que não são mais necessários. Pelo contexto, dizem, sabe-se quando “pela” é bola ou contração de preposição com artigo (per + a), ou quando forma é aberto ou fechado (se bem que ainda se admite o acento circunflexo), por exemplo.

Mas se houve exceções…

Fica a pergunta sobre o que quero levantar com vocês aqui: por que diabos deixaram passar a retirada do acento diferencial de para – que fazia o esclarecimento para nós de quando era verbo (grafado anteriormente “pára”) ou preposição?

Digo isso porque nem sempre o contexto nos ajuda a compreender a distinção. Até compreendo que houve reuniões com representantes de países de falantes do português, mas nossos doutos linguistas e gramáticos brasileiros deveriam ter atentado para esse problema. De qualquer forma, se isso não foi possível à época, hoje já temos exemplos dessa derrapada.

Olha os exemplos

Quando temos o estudo de um fenômeno em linguagem, é importante que os casos para exemplificá-lo sejam de situações que ocorreram de verdade. Amostras inventadas ou somente hipotéticas podem trazer confusão. Então acompanhem comigo dois casos a seguir que apareceram em títulos de jornal.

O primeiro exemplo é este: “Modelo para hospital”. O que você esperaria? Bem, a matéria falava da visita de Naomi Campbell a uma unidade de saúde. Por conta da sua presença, profissionais da saúde, da limpeza, da segurança e da administração, bem como pacientes e visitantes pararam tudo para vê-la. Mas ficamos em dúvida se a Secretaria de Saúde teria criado um padrão de conduta para o hospital. Verbo ou preposição?

O segundo título é: “Justiça para o Vasco”. Bem, nesse caso, o Gigante da Colina foi punido com a perda de 6 pontos por escalar jogador irregular. Então, sua classificação no Carioca de 2009 foi comprometida. Todavia, um desavisado poderia pensar que o Vasco recebeu, na Justiça, algo que lhe era de direito. Preposição ou verbo? Percebeu a dificuldade?


Você pode gostar
Publicidade