Siga o Jornal de Brasília

Histórias da Bola

Vasco pisão

Publicado

em

Publicidade

O Vasco da Gama parece não ter surgido para ser campeão por cobranças de tiro livre direto, como deveria ser chamado o “chamado” pênalti. Nos últimos tempos, desperdiçou chances de títulos chutando para fora, acertando as traves, ou avisando ao goleiro onde mandaria a bola. Vejamos uma relação desses vexames:

14.01.2000 – O Vasco decidia o I Mundial Interclubes da FIFA, no Maracanã, diante de 73 mil pagantes, com um ponto a mais do que o Corinthians, mas sem a vantagem do empate. Foi melhor do que o adversário, que jogou, visivelmente, para empatar e decidir nos pênaltis. Rolou 0 x 0 e, chegando as batidas fatais, os vascaínos perderam, por 3 x 4, desperdiçando duas, por Edmundo, o seu então maior ídolo, e Gilberto – Romário, Alex Oliveira e Viola converteram. O treinador era Antônio Lopes e o time teve: Hélton; Paulo Miranda, Mauro Galvão, Odvan e Gilberto Melo; Amaral, Felipe(Alex Oliveira) Juninho Pernambucano (Viola) e Ramon Menezes; Edmundo e Romário, em noite de quarta-feira.

26.03.2005 – Valia vaga nas semifinais da Taça Rio e marcou a última partida de Romário em Estaduais-RJ, nos quais ele havia faturado quatro, em 15 disputas. No tempo normal de jogo, 1 x 1. Foi em uma tarde de sábado, no Maracanã, e, em uma interminável disputa “penaltimaníaca”, o Vasco levou 7 x 8. Marco Brito, Romário, Claudemir, Coutinho, Alex Dias, Fabiano e Rafael acertaram as cobranças, enquanto Jean perdeu. Dirigido por Joel Santana o time foi: Fabiano Borges; Claudemir, Fabiano, Daniel e Diego (Jean); Gomes (Marcos Brito), Coutinho e Rafael e Robson Luiz (Rubens); Alex Dias e Romário – o jogo 54.230 presentes.

12.045.2017 – Prélio das semifinais da Taça Rio, terminado nos 4 x 4, no Maracanã, com Renato, a 1; Abedi, aos 3 e Jorge Luiz, aos 33 min, do 1º tempo, além de Alan Kardec, aos 37 do segundo tempo, marcando os tentos vascaínos. Na cobranças dos penais, os vascaínos “entregaram rapadura”, por 1 x 4. Roberto Lopes foi o único com pé certo, enquanto Morais e Dudar desperdiçaram. O treinador era Renato Gaúcho e os “pisões” foram: Cássio; Jorge Luiz, Dudar e Julio Santos (André Dias, expulso de campo); Abedi, Roberto Lopes, Coutinho (Conca) , Renato, Morais e Guilherme (Alan Kardec); Romário.

12.04.2008 – Mais uma decisão pela Taça Rio, no Maracanã. No tempo normal, anotado 1 x 1 na caderneta, com Jean marcando para o Vasco. Nas cobranças dos tiros livres diretos, Vasco 4 x 5, em um sábado noturno. Pablo, acertando a trave, foi o “Pisão da Colina. Morais, o goleiro Tiago, Souza e Wagner Diniz converteram e a equipe. treinado por Antônio Lopes, alinhou: Tiago; Vilson, Eduardo Luiz, Jorge Luiz e Wagner Diniz; Jonílson, Leandro Bomfim (Souza), Morais, Pablo, Edmundo (Alex Teixeira), Alan Kardec (Jean).

28.05.2008 – Jogo em São Januário, valendo passagem à final da Copa do Brasil. Treinado seu ex-atleta Gaúcho, o Vasco devolveu os 2 x 0 lhe mandados pelo Sport-PE, no jogo de ida, em Recife. Edmundo fechou a “conta da ilusão”, aos 45 minutos do segundo tempo. Na hora do “vamo ki vamu”, ele mandou a bola para as nuvens e os pernambucanos venceram, por 5 x 4. De quebras, foram os campeões da disputa, decidida contra o Corinthians. Time do dia : Tiago; Wagner Diniz, Jorge Luiz, Pablo, Rodrigo Antônio; Jonílson, Leandro Bonfim, Morais, Madson, Alex Teixeira (Jean) e Edmundo.

08.04.2018 – Tarde de domingo com um entregada monumental, para o Botafogo, na última bola do jogo, no Maracanã, forçando decisão por pênaltis, por cada time ter vencido uma partida das finais. E o Vasco caiu, por 3 x 4, diante de mais de 60 mil torcedores. Desde os 36 minutos do primeiro tempo, atuou com um jogador a menos, devido a expulsão do lateral Fabrício. Na cobrança de pênaltis, Werley e Henrique perderam. Wagner, Andrés Rios e Yago Pikachu converteram as suas, diante de 58.135 pagantes. Treinado por Zé Ricardo, o time vascaíno usou: Martín Silva, Rafael Galhardo(Werley), Paulão, Erazo e Fabrício; Leandro Desábato, Evander(Andrés Rios), Yago Pikachu, Wágner e Henrique; Riascos (Ricardo).

31.03.20-18 – Domingo de decisão da Taça Rio e repeteco do vexame da decisão do Estadual-12018, contra o Botafogo. Gol sofreido na última bola do jogo e queda por 1 x 3 Flamengo nos pênaltis, no Maracanã-RJ, diante de 38.787 almas. Rossi , Tiago Reis e Werlei foram os maus chutadores e o time do técnico Alberto Valentim, que escalou, no Maracanã, diante de 38.787 almas: Fernando Miguel; Cáceres, Werley, Leandro Castan (Ricardo) e Danilo Barcelos; Bruno Silva (Raul), Lucas Mineiro e Bruno César (Thiago Galhardo); Rossi, Tiago Reis e Marrony.

UNICAMENTE – De 2.000 para cá, só em 13.02.2010, valendo vaga nas finais da Taça Guanabara, em um sábado carnavalesco, no Maracanã, o Vasco se deu bem em cobranças de pênaltis: 6 x 5, Fluminense, com 0 a 0 no tempo normal. Há seis temporadas, a rapaziada não chegava a uma decisão de turno no Campeonato Estadual, com a última tendo sido em 2004.


Você pode gostar
Publicidade