fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Histórias da Bola

Periquito laranja

As datas 7 de novembro de 2001 e 28 de novembro de 2004 devem ganhar destaque em um possível livro sobre a história gamense

Avatar

Publicado

em

Foto: Reprodução
PUBLICIDADE

As datas 7 de novembro de 2001 e 28 de novembro de 2004 devem ganhar destaque em um possível livro sobre a história gamense. Nelas, o Periquitão fez duas partidas perfeitas: 5 x 0 Guarani de Campinas-SP e 7 x 1 Limoeiro-CE.

A primeira foi durante tarde calorenta, no velho Mané Garrincha, valendo pelo Campeoanto Brasileiro da Série A, e representou, até então, a maior goleada alviverde em três disputas na elite do futebol nacional.

Aquele, no entanto, foi prélio só de um tempo, o primeiro, quando o treinador Sérgio Alexandre armou time sem posições fixas, fazendo muitas triangulações, passes rápidos e o overlaping (adianta-se para receber a bola no ponto futuro) saía em cima. Parecia a incorporação do espírito da Laranja Mecânica holandesa da Copa do Mundo-1974.

Para jogar tão bem, o Gama liberou o meia-armador Lindomar para  jogar solto, recuando só quando achasse conveniente. O ponta-direita Romualdo atuou aberto, como os ponteiros antigos, enquanto o meia-atacante Anderson recou para, também, lançar e abrir espaços para o veloz centroavante Mauro. O esquema teve, ainda, o lateral–esquerdo Rochinha mais contido, subindo só nas boas.

Assim, o Gama fez 1 x 0, por cabeçada de Romualdo, aos 7 minutos, quando Wilson Goiano corou falta; aos 20, a cuca legal foi a de Mauro, complementando cruzamento por Anderson; aos 18, Anderson repetiu o lance, Romualdo fez uma deixadinha e Lindomar escreveu 3 x 0; aos 22, Anderson lançou, Wiulsn Goiano cruzou e Mauro repetiu cabeçada: 4 x 0; aos 30, Romualdo lançou e Mauro matou: 5 x 0.

Ronaldo; Wilson Goiano, Nen, Jairo e Rochinha; Deda, Robstonó, Lindomar e Romualdo (Valenciano); Mauro (Reinaldo) e Anderson (Gérson) foi o Periquitão laranja.

Diante do Limoeiro, a descascada valeu o vice da Série C e a volta do Gama à Segunda Divisão do Brasileiro, em pugna rolada no  Bezerrão, diante de 3.500 pagantes.

A balaiada começou aos 12 minutos. O lateral Weslei cruzou  bola para o meio da área e Victor encaçapou: 1 x 0; aos 18, Cleiton cobrou falta na frente da área, mandando um torpedo para a rede: 2 x 0; aos 25, Rodriguinho lançou Michel Platino, que cruzou,d a esquerda, para Victor fazer 3 x 1; aos 32, Victor serviu Platini, que emplacou: 4 x 1; aos 40, Wesley cobrou falta, para o zagueiro Emerson deixar: 5 x 1, placar no primeiro tempo.

Na etapa final, aos dois minutos, Rodriguinho subiu a conta para 6 x 1. E fechou, aos 20, lançado, por Victor, em contra-ataque: 7 x 1.

Treinado por Reinaldo Gueldini, o Gama foi: Alencar (Roger); Cleiton, Marcão, Emerson e Bobby; Macaé, Juari (Carlos Eduardo), Wesley e Rodriguinho; Victor e Michel Platini (Bispo).


Leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade