Siga o Jornal de Brasília

Histórias da Bola

Os invencíveis Pelé & Garrincha

Publicado

em

Publicidade

A Comissão Técnica da Seleção Brasileira de 1962, não concebia convocar um atleta para este disputar posição que não fosse, originalmente, a dele. Assim, durante a Copa do Mundo do Chile, foi um horror,durante a fase de treinamentos, falar de escalação da dupla Amarildo & Pelé, pois o primeiro viajara como reserva do “Rei do Futebol”.

Como Pelé contundiu-se durante o segundo jogo daquele Mundial, diante da Tchecoeslováquia (0 x 0), surgiu a oportunidade para o botafoguense Amarildo entrar no time – entrou e se consagrou marcando gols decisivos.

Quatro temporadas se passaram e o problema voltou quando o escrete nacional treinava para disputar o Mundial da Inglaterra-1966. Garrincha, negociado, pelo Botafogo, com o Corinthians, treinava duro para recuperar a velha forma e havia feitos jogos animadores. De sua parte, Jairzinho estava em grande forma, atuando tanto pela ponta-direita como pelo miolo do ataque.

A antiga CBD-Confederação Brasileira de Desportos- atual CBFutebol acreditava no Mané, ainda mais porque, com ele e Pelé juntos no ataque canarinho, o Brasil jamais saíra de campo inferiorizado no placar.

Se mantivesse a postura tradicional, um dos dois seria sacrificado; se mudasse de opinião, os centroavantes Silva (Walter Machado) e Servílio (depois, dispensado) seriam as vítimas, com Jairzinho podendo ser o camisa 9.

A possibilidade de ter Garrincha no time fazia muitos jornalistas escreverem que se teria uma Copa do Mundo alegre. Afinal, o “Torto” prometia, a julgar pelo seu começo corintiano. E previam um ataque com o Mané, Jairzinho, Pelé e Amarildo, com Gérson na armação de jogadas.

Se, em 1962, Pelé foi tirado de campo por uma lesão muscular, para

Amarildo ganhar a sua vaga, daquele vez o problema aconteceu com o botafoguense, que foi cortado do grupo em cima da hora. Gérson , também, estava sem condições físicas para a estreia e cedeu vez ao santista Lima.Então, o treinador Vicente Feola escalou o ataque com Garrincha, Alcindo, Pelé e Jairzinho.

Aquela foi que foi a última partida de Garrincha e Pelé canarinhos juntos.Os dois marcaram os dois tentos dos 2 x 0 Bulgária, ambos cobrando falta – Gilmar (San); Djalma Santos (Palm), Bellini (SP), Altair (Flu) e Paulo Henrique (Fla); Denílson (Flu);Garrincha (Cor); Alcindo (Grem-RS), Pelé (San) e Jairzinho (Bota) foi o time envelhecido time, que escalava veteranos do bi-1958/1962 Gilmar, Djalma, Bellini e Garrincha – Pelé tinha 25 de idade e a turma, depois, levou os mesmos 1 x 3 da Hungria e de Portugal, sendo eliminada.


Você pode gostar
Publicidade