Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Os artilheiros de bronze

Romário e Roberto Dinamite são os primeiros vascaínos a virarem estátuas

Por Gustavo Mariani 10/06/2022 3h48

Primeiramente, Romário; recentemente, Roberto Dinamite. Os dois maiores goleadores da história do futebol do Vasco da Gama – 622 tentos, em 1.025 jogos do Dinamite, e 321, em 414 jogos do Baixinho – ganharam estátuas dentro o estádio vascaíno de São Januário.

Romário foi homenageado pelo seu 1000º gol (contagem dele, em 20.05.2007), de pênalti, em Vasco 3 x 1 Sport-PE, do Brasileirão, e com estátua inaugurada (18.08.2007), atrás de uma das balizas do gramado. “… me faz lembrar de tudo o que vivi no Vasco, da base à fase profissional e, principalmente, do gol feito no estádio de São Januário”, comentou sobre o tento e a localização da obra, pertinho da trave em que ele o marcou.

A estátua do Baixinho foi trabalhada, em argila, pelo escultor Osório Corrêa, segundo o qual representa “a imagem que o povo brasileiro tem do ídolo”; a transformação, em bronze, ficou a cargo de Amadeu Eduardo Zani, para quem “a estátua (no tamanho do modelo original, custando cerca de R$ 20 mil ao Vasco da Gama) tem importância para o futebol nacional, acima de tudo, pelo muito que Romário fez pela modalidade”.

No instante do milésimo, aos 2 minutos do 2º tempo, Romário o fez como queria, de pênalti. Thiago Maciel cruzou a bola, da direita, o zagueiro Durval tocou-a, com uma das mãos, o juiz Giuliano Bozzano-SC viu e o goleiro Magrão levou o gol, com chute para o seu canto direito, sem chances de defesa.

A comemoração pela marca parou o jogo, por 16 minutos. Lembrando o milésimo de Pelé (19.11.1969, no Maracanã), Romário pegou a bola na rede e a beijou, abraçado pelos colegas. Depois, foi cercado por jornalistas e falou-lhes, muito emocionado. Ainda beijou a mãe, abraçou os filhos e familiares e fez uma volta olímpica.

De sua parte, Roberto Dinamite teve o seu busto, também em tamanho natural, esculpido pelo artista plástico Mario Pitanguy. “”A simplicidade do Roberto chama a atenção, pela grandeza dele, a lenda que ele é. Colaborou com todos os passos do projeto”, contou o escultor que, inicialmente, tirou as medidas do antigo goleador, para, depois, trabalhar detalhes no formato, fundição do bronze e na instalação, que terminou durante a noite da terça-feira (26.04.22).

Maior ídolo da história desportiva cruzmaltina, o Dinamite virou estátua por conta da ajuda de torcedores que doaram a partir de R$ 25,00, sendo que 168 contribuintes com R$ 1.000 ganharam a promessa de terem os seus nomes gravados no pedestal da estátua, colocada em frente à curva das arquibancadas de São Januário. Projeto anunciado, em cinco horas, foi arrecadado a meta de R$ 190 mil. Cinco minutos depois, já se tinha mais de R$ 205 mil, totalizando 800 doadores.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

A inauguração da estátua teve festa iniciada às 19h do 28 de abril deste 2022, com shows de cantores vascaínos Paulinho da Viola, Teresa Cristina, Fernanda Abreu e a da bateria da escola de samba União Cruzmaltina, com patrocínio de PixBet, BMG, Kappa e Mercado Bitcoin. A produção ficou por conta do diretor da VascoTV, Mario Vassalo. Em outubro de 2021, Roberto já havia sido homenageado, pela passagem de meio-século do seu primeiro gol (21.11.1971?), contra o Internacional-RS, pelo Campeonato Brasileiro. Tornou-se obra de arte virtual, inspirando duas NFT – token não fungível – arte digital, com codificações criptografadas.








Você pode gostar