Siga o Jornal de Brasília

Histórias da Bola

Cadê a torcida?

Publicado

em

Em março de 1978, o Brasília Es9orte Clube – o “Colorado do Planalto”, apelido bonito, mas que não pegou – trouxe o Flamengo para dois amistosos no Pelezão. O primeiro foi um fracasso de público, em 3 de março, com a presença de apenas 1. 740 testemunhas.

Não era para o torcedor candango desprestigiar tanto os rubro-negros, pois eles trouxeram uma boa equipe, que alinhava Cantarelli, Ramirez, Rondinelli, Dequinha, Júnior, Merica, Adílio, Valdo (Luís Paulo), Júnior Brasília, Tita e Osni. Esta rapaziadas venceu, por 1 x 0, com gol marcado por Leovegildo Júnior cobrando pênalti, aos 51 minutos. Até aí nada de extraordinário. O problema era como o Brasília iria pagar a cota combinada, já que não houve bilheteria suficiente. Os empresários brasilienses – a Associação Comercial do DF mantinha o clube – que se virassem.

Foi então que, para os flamenguistas não levarem o calote, foi negociado um novo amistoso, contra o Gama, na manhã do domingo 5 de março, no Bezerrão, e um terceiro, contra o mesmo Brasília, três dias depois, ambos com a presença de Paulo César Carpegiani, que não participara do primeiro. No Bezerrão, Fla 2 x 0 Gama, com público razoável, teve Ttita, aos 47, e Júnior, aos 63, marcando. Os jogadores rubro-negros foram quase os mesmos do amistoso anterior, acrescentando-se o zagueiro Nélson (barrou Dequinha, que substituiu Rondinelli, no segundo tempo), o lateral-esquerdo Vanderlei Luxemburgo (depois, substituído por Júnior), e o atacante Lino, além do PC Carpegiani.

No segundo jogo contra o Brasília, o Fla mandou um outro 2 x 0, com Dequinha e Júnior (este cobrando um outro pênalti), batendo na rede. No primeiro gol, Dequinha atacou, ficou em posição de impedimento, mas o juiz Adélio Nogueira deixou o lance seguir. O segundo surgiu de um pênalti cometido pelo goleiro Paulo Victor, sobre Osni.

A terceira renda chegou aos Cr$ 43 mil cruzeiros. Assim, o futebol candango se virou para não deixar o convidado na mão. O Fla jogou a partida final com Cantarelli; Ramirez, Rondinelli, Dequinha e Júnior; Merica, Carpegiani e Adílio; Osni, Tita e Luís Paulo. O Brasília foi: Paulo Victor; Newton, Chavala, Mário (Emerson) e Santos (Edair); Lindário, Raimundinho e Ernane Banana (Moreirinha); Willian ‘Mochila’, Edmar (Ney) e Bira (Wilmar).


Você pode gostar
Publicidade