Siga o Jornal de Brasília

Histórias da Bola

Antevéspera bissexta

Publicado

em

O 27 de fevereiro de 2008 caiu na antepenúltima temporada bissexta do futebol brasileiro do século 21. Naquele dia, o Vasco da Gama reestreava o atacante Edmundo, pela quarta e penúltima vez – 1992, 1996, 2003 e 2012 foram as outras – que em 748 jogos e 466 gols pela honra do “Almirante”.

O momento era de muito fuxico, porque o treinador Alfredo Sampaio havia tirado o astro do treino da sexta-feira. A imprensa fazia a maior onda. Edmundo dizia que todos faziam maior onda quando algo ocorria com ele, e afirmava estar cumprindo as ordens táticas do comandante durante o treino da confusão.

Veio o jogo e Edmundo sacudiu a torcida, sendo autor de um gol e do passe para um outro dos 3 x 2 Itabaiana. Ele encontrou um time jovem e um clube endividado, sem as parcerias que pagavam as suas antigas grandes despesas e, ainda, apontado como quarta força técnica do futebol carioca – nesta “tetravolta”, contribuiu com 26 tentos, em 44 jogos.

Naquele penúltimo dia do fevereiro bissexto, mais precisamente noite de uma quarta-feira, o jogo foi contra um modesto time sergipano que não motivou mais do que 3. 198 pagantes irem a São Januário – renda de R$ 15.990,00, que não dava para pagar as despesas da apitada pelo catarinense Célio Amorim e válida ela Copa do Brasil.

Era para ser um treino de luxo, mas Edmundo e sua turma tiveram de suar um pouco mais para o Vasco chegar à segunda etapa do Copão. Aos 10 minutos, ela animou a torcida, lançando Morais que, de dentro da área, mandou a bola por cima da baliza. Aos 17, Alan Kardec teve mais competência, em novo lançamento do “Animal”, e abriu a conta: 1 x 0, placar do primeiro tempo.

Durante comemoração do tento, Kardec acenou para o presidente Eurico Miranda – partiu, ontem, desta vida -, sinalizando agradecê-lo por ter mandado Romário embora, o que contribuiu para a volta do desafeto Edmundo, que compareceu ao filó, aos 11 da etapa final, com o brasileiríssimo “toque sutil”, tabelando com a revelação Alex Teixeira, de 18 de idade, o qual elogiou muito.

O Itabaiana tentou engrossar e Fabiano reduziu, para 1 x 2, aos 28. Aos 32, naquelas cobranças de escanteio em que um zagueiro vai para a área, Jorge Luiz voltou a colocar a casa em ordem: 3 x 1 – Fabiano inda voltou a bagunçar a cozinha de São Januário, aos 35.

Pelos minutos finais, o treinador Alfredo Sampaio trocou o meia Morais, elo apoiador Andrade, para segurar o resultada, pois o seu time teria parada mais dura durante a etapa vindoura, contra o mineiro Democrata, de Governador Valadares, ou o paulista Bragantino.

Tiago; Wagner Diniz, Jorge Luiz, Luizão e Edu; Amaro, Xavier (Souza), Morais (Andrade) e Alex Teixeira; Edmundo e Aln Kardec foi o time. O Itabaiana, escalado por Marcos Magalhães, teve: Vinicius; Dé, Edu Pata, Adelson e Cleiton; Léo , Everton (Paulinho), Fabiano e Edvaldo; Tácio e Harley.


Você pode gostar
Publicidade
Publicidade 
Publicidade
  • CHARGE DO DIA

Publicidade