Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

O fim da E3 está próximo?

Com uma fórmula ultrapassada e com adição de eventos concorrentes, as chances de vida longa para a E3 estão com seus dias contados?

Por Karol 29/06/2022 6h40
Foto: Divulgação

Saindo dos pequenos espaços oferecidos em eventos de tecnologia, a E3 surgiu em 1995 para se tornar, durante seus mais de 25 anos, a maior feira de games do mundo. Porém, vale lembrar que naquela época, videogames eram vistos como brincadeira de criança e não tinham tanta visibilidade como hoje.

A década de 1990 foi um divisor de águas para o meio e apresentou muitos avanços tecnológicos. Foi então que a corrida dos consoles aumentou e a competição pelo pódio no mercado se tornou mais feroz. Com desenvolvedores buscando apresentar melhores jogos, aumentando o nível de suas produções, o público se maravilhava com conferências recheadas de jogos com gráficos surpreendentes para a época.

Mesmo sendo um evento restrito ao público, a primeira E3 foi um sucesso, e as empresas começaram a fazer apresentações maiores e melhores ao longo dos anos. Foi na primeira edição também que vimos Sega e Sony disputando o mercado e anunciando o valor de seus consoles. No ano seguinte, tivemos Nintendo anunciando seus grandiosíssimos jogos como Legend of Zelda: Ocarina of Time e Pokémon, Playstation finalmente deixando o seu mascote Polygon Man para trás e apresentando o carismático Crash Bandicoot.

Foi nesse palco que vimos a queda da Sega, a Nintendo voltando com tudo e o anúncio de uns dos consoles mais emblemáticos até hoje, o Playstation 2. Foi também onde a grande Microsoft chegou mostrando que tinha chegado para ficar, apresentando seu Xbox e trazendo só o The Rock para sua apresentação.

Comparado ao sucesso do Playstation 2, as vendas foram relevantes suficientes para que Bill Gates visse essa indústria como algo promissor para sua empresa, principalmente por terem sido maiores do que as das empresas que vinham nessa competição.

Ao decorrer dos anos, a disputa só aumentou, e inovações precisavam ser feitas. Foi aíque a Nintendo revolucionou com seu console de leitor de movimentos, o qual impulsionou seus concorrentes a fazerem o mesmo. Nós então conheceríamos jogos como Wii Sports Resort e Just Dance.

Sendo o palco de grandes anúncios e momentos históricos da indústria dos videogames, a E3 começou a ser abalada com a facilidade de acesso à internet e o estreitamento com o público gamer. Sites, Youtube e outras redes sociais estavam à disposição para que grandes empresas procurassem criar seus próprios eventos online e não precisassem mais dividir espaço com seus concorrentes em eventos limitados e presenciais.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Com a falta de habilidade na leitura do cenário e de mudança na estrutura do evento, cometeram o erro de restringir mais ainda o acesso ao show. Visto que tinham cometido um erro, até tentaram voltar ao modelo anterior, mas o mundo já havia mudado e a internet aumentou consideravelmente a facilidade do consumo de notícias no menor tempo possível.

A ESA (Entertainment Software Association: Associação de Softwares de Entreterimento) responsável pela condução da E3, que iria mudar seu formato, buscaria algo mais parecido com uma conferência de fãs e influenciadores.

As coisas começariam a piorar com a saída da gigante Sony. Que optou por colocar seus esforços no evento online intitulado State of Play.

Para piorar um pouco mais, em 2020 o mundo foi acometido pela pandemia do Covid-19 e o evento foi cancelado. Em 2021, eles planejavam voltar com o evento presencial, mas não rolou já que as condições ainda não estavam favoráveis. Sendo assim, fizeram a Electronic Entertainment Experience 2021, online, que foi totalmente gratuito e liberado para todos. Agora em 2022, novamente o evento foi cancelado.
Ainda não é o fim da E3. De acordo com site da IGN, a ESA afirmou que promete chegar maior e melhor em 2023.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mas hoje empresas estão com total capacidade para realizarem seus próprios anúncios e outros eventos estão surgindo, como nosso queridinho Summer Fest Show! Com uma fórmula ultrapassada e com adição de eventos concorrentes, as chances de vida longa para a E3 estão com seus dias contados? Veremos o que 2023 nos reserva e quem sabe não nos vemos por lá.








Você pode gostar