Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Jornal ‘Olé’ tira onda com a sequência de vitórias da Argentina sobre o Brasil

“Antes, parecia impossível vencer o Brasil em qualquer categoria do futebol. Agora pareceria uma moeda comum”, diz o jornal

Por Marcondes Brito 12/02/2024 8h17
Reprodução

Está difícil de aturar os ‘hermanos’. Dê uma olhada na principal matéria do jornal ‘Olé”, nesta segunda-feira (12), após eles nos tirarem dos Jogos Olímpicos de Paris:

Embora às vezes isso fosse evasivo e a tendência fosse negativa para a Argentina, ultimamente tudo parece ter se revertido. Sem pecar pela arrogância, parecia que, antes, vencer uma partida contra o Brasil em qualquer categoria do futebol era um feito quase impossível, mas agora pareceria uma moeda comum.

Nos últimos três meses, a Albiceleste venceu a Verdeamarela três vezes em onze futebol. Isso deixa claro que não importa se é Scaloni quem lidera o time ou Leo Messi quem usa a faixa de capitão, mas parece ser algo relacionado às cores da camisa.

A primeira vitória foi no dia 22 de novembro de 2023, naquela memorável partida no Maracaná, onde a polícia não teve piedade da torcida argentina. Com grande cabeçada de Nicolás Otamendi, a Seleção Argentina venceu por 1 a 0 a brasileira e também ficou invicta em casa nas Eliminatórias.

A segunda, com apenas dois dias de diferença, ocorreu em 24 de novembro de 2023. Com um hat-trick de Claudio Echeverri, o Sub 17 comandado por Diego Placente venceu o Brasil por 3 a 0, em Jacarta, pelas quartas de final da Copa do Mundo, disputada na Indonésia. .

Agora, neste domingo, 11 de fevereiro de 2024, a Albiceleste conquistou a terceira vitória em três meses contra a Canarinha. Graças a uma grande cabeçada de Luciano Gondou, os comandados por Javier Mascherano venceram por 1 a 0 na última partida do torneio pré-olímpico disputado na Venezuela. E claro, ele ficou de fora dos Jogos Olímpicos de Paris 2024.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Acompanhe as atualizações da coluna “Futebol Etc” nas redes sociais, no Twitter e também no Instagram. Mande sugestões para a coluna pelo email [email protected]






Você pode gostar