Siga o Jornal de Brasília

Figuras de Brasília

Figuras de Brasília: Joffre Mozart Parada

Publicado

em

Joffre Mozart Parada nasceu em Vianópolis (GO) no dia 18 de dezembro de 1924. Formou-se em Engenharia de Minas e Metalurgia Civil em 1949, sendo professor e fundador da Escola de Engenharia do Brasil Central (EBCC). Morando em Luziânia (GO) no início dos planos do presidente JK de mudança da capital, foi o engenheiro-chefe da Comissão de Cooperação para a Mudança da Capital Federal. Joffre realizou a demarcação e mapeou as fazendas a serem desapropriadas para assentar o futuro Distrito Federal. Ele foi, literalmente, o primeiro engenheiro a chegar em Brasília.

Joffre (esq) durante a construção de Brasília em 1957

 

Parada foi um grande parceiro do engenheiro e diretor da Novacap Bernardo Sayão, tornando-se o engenheiro-chefe da Divisão de Topografia Urbana da Novacap. Como não desgrudava da régua de cálculo, ganhou o apelido de o “Homem da Régua”.

 

Joffre na construção da rodovia Belém-Brasília em 1958

Joffre foi o profissional responsável por estabelecer os limites das fazendas que ficavam na região do novo Distrito Federal, criando as condições legais para as desapropriações que foram feitas pelo estado de Goiás. O engenheiro também escolheu o local e demarcou a Cidade Livre, sendo o seu primeiro prefeito. Foi ele, também, quem fincou a estaca do Marco Zero no encontro do Eixo Rodoviário com o Eixo Monumental.

 

Depois da inauguração, Joffre Parada lecionou na Universidade de Brasília (UnB), onde também coordenou o Instituto Central de Geociências. Além disso, foi secretário de Obras Públicas e Serviços Sociais no governo Wadjô Gomide (1967/1969).

 

Joffre Parada (terceiro da esq. para a dir.), como secretário de Obras Públicas, em almoço na Torre de TV em 1969

 

O engenheiro morreu em 1976, vítima de um infarto, aos 52 anos de idade.


Você pode gostar
Publicidade