Siga o Jornal de Brasília

Figuras de Brasília

Figuras de Brasília: Bernardo Sayão

Publicado

em

Publicidade

Bernardo Sayão nasceu no dia 18 de junho de 1901, no Rio de Janeiro. Formou-se em engenharia na Escola Superior de Agronomia e Medicina Veterinária de Belo Horizonte, em 1923 e, alguns anos depois, aparecia em Goiás pela primeira vez para trabalhar nas obras de Goiânia, cidade planejada que estava sendo construída pelo governador Pedro Ludovico.

 

Em 1941, Getúlio Vargas escolheu Sayão para dirigir a implantação de um colônia agrícola no interior de Goiás. A partir daí, o engenheiro ficou conhecido no estado, chegando a ser eleito vice-governador em 1954.

 

Sayão: trabalhador incansável muito querido pelos candangos

 

Com o início da construção de Brasília, em 1957, Bernardo Sayão foi nomeado um dos diretores da Novacap. Ele era o responsável por toda a infraestrutura da cidade (redes de água, esgoto, luz, etc), além de comandar a abertura das estradas que ligariam a capital ao resto do país. O engenheiro trabalhou nas obras de ligação Brasília-Goiânia, Brasília-Anápolis e Brasília-Cristalina-Paracatu. Em 1958, foi encarregado de dirigir a construção da Belém-Brasília, estrada que seguiu ritmo intenso, envolvendo mais de 3 mil homens.

 

 

No dia 15 de janeiro de 1959, Sayão estava em plena selva amazônica, a 30 quilômetros da fronteira com o Maranhão, quando sua barraca foi atingida por uma imensa árvore que acabara de ser cortada. Ele morreu em um helicóptero, enquanto era transportado em busca de socorro.

 

O engenheiro foi a primeira pessoa enterrada no cemitério Campo da Esperança, que havia sido demarcado por ele mesmo. O dia de seu enterro foi a única ocasião em que as obras de Brasília, literalmente, pararam.

Enterro de Bernardo Sayão em 1959

 

Em sua homenagem, o presidente JK oficializou a Belém-Brasília como Rodovia Bernardo Sayão.


Você pode gostar
Publicidade