Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Três maneiras de ensinar aos alunos que o fracasso é necessário para aprender

Jovens são condicionados a acreditar que o sucesso é o único resultado aceitável, e qualquer passo em falso é considerado uma falha pessoal. Por que estamos deixando nossos filhos crescerem assim? 

Por Philip Ferreira 26/07/2023 2h47
Foto: Yan Krukau/Pexels

Vocês, estudantes, têm medo de reprovar? No sistema educacional tradicional, o fracasso, muitas vezes, é estigmatizado, visto como algo negativo. Os alunos são condicionados a acreditar que o sucesso é o único resultado aceitável, e qualquer passo em falso é considerado uma falha pessoal.

Por que estamos deixando nossos filhos crescerem assim? Essa mentalidade dificulta o desenvolvimento, pois fracassar é essencial para o processo de aprendizagem.

Como educadores, podemos capacitar os alunos a aceitar a frustração como um trampolim para o pensamento crítico, a solução de problemas e, eventualmente, o sucesso por meio da garra. Os professores podem usar essas três estratégias a seguir para capacitar seus educandos a verem o tropeço de maneira diferente:

1. Crie um ambiente de aprendizagem seguro e apoiador

Para transmitir a crença de que o fracasso é necessário, é fundamental criar um ambiente seguro e de apoio na sala de aula. Os jovens devem se sentir à vontade para assumir riscos e cometer erros sem medo de julgamentos. Estabelecer uma atmosfera em que a falha seja vista como uma parte natural do processo de aprendizagem promoverá uma cultura de colaboração, curiosidade e exploração.

Os professores podem criar esse ambiente modelando a vulnerabilidade e compartilhando suas próprias falhas e experiências de crescimento (isso inclui admitir quando estamos errados). Ao mostrar que até mesmo os educadores encontram contratempos e desafios, os alunos entendem que o fracasso não é algo para se envergonhar, mas uma oportunidade para crescimento. Além disso, incentive o apoio entre colegas, onde todos possam aprender com os erros uns dos outros.

Ninguém é perfeito, e isso é evidente em nossas vidas. Se seus alunos puderem ver você como o ser humano que é, eles também aceitarão suas falhas como uma oportunidade de aprendizado. Essa cultura positiva promoverá discussões saudáveis ​​e proporcionará um crescimento significativo para todos.

2. Cultive uma mentalidade de crescimento

Uma mentalidade de crescimento é a crença de que habilidades e inteligência não são características fixas, mas podem ser desenvolvidas por meio de dedicação e trabalho árduo. Isso também é conhecido como grão. Se os estudantes puderem desenvolver e incutir coragem em sua jornada educacional, eles serão bem-sucedidos por tentativa e erro.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Para promover uma mentalidade de crescimento, os educadores podem enfatizar o esforço e o processo geral, em vez de se concentrar apenas nas notas ou nos resultados dos testes. Celebrar o esforço que os estudantes colocam em seus trabalhos e incentivá-los a enfrentar desafios ajudará a criar um ambiente que valoriza a perseverança e a resiliência.

Incentive os jovens a definirem metas desafiadoras e aceitar erros como oportunidades de aprendizado. Forneça feedbacks construtivos e oportunos. Assim, todos desenvolverão um senso de resiliência, perseverança e disposição para assumir riscos.

3. Incentive a reflexão e a autoavaliação

Os professores podem ajudar os alunos a realizarem novas explorações, criando atribuições e projetos que permitem a criatividade e a inovação. Ao enfatizar que a jornada é tão importante quanto o destino, todos ficarão mais propensos a aceitar o fracasso como parte natural de seu crescimento educacional.

Além disso, incentivar a autoavaliação regular pode ajudar na obtenção de insights sobre pontos fortes, fracos e áreas de melhoria. Fazendo aos estudantes perguntas reflexivas como: “O que você aprendeu com essa experiência?” “O que você poderia ter feito diferente?” e “Como você pode aplicar esse conhecimento no futuro?”, o professor ajuda-os a desenvolver uma compreensão mais profunda do processo de aprendizagem.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os educadores podem integrar a reflexão no currículo incorporando atividades como registro no diário, discussões em grupo ou resumos de projetos por meio de reuniões individuais com o professor ou usando rubricas. Esse processo permite que os alunos internalizem suas falhas, analisem suas tomadas de decisão e gerem estratégias acionáveis ​​para melhoria. 

Ensinar que errar é necessário é um aspecto essencial da educação, mas requer uma mudança de mentalidade tanto para o educador quanto para o estudante. Vamos inspirar nossos alunos a abraçar o fracasso e liberar todo o seu potencial na busca de conhecimento e crescimento pessoal.






Você pode gostar