Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

Tempo de inatividade da avaliação: o que fazer antes e depois dos testes obrigatórios

Por Philip Ferreira 25/05/2022 9h06

O mês de maio pode estar associado à primavera para a maioria das pessoas, mas para os professores, também significa que a temporada de testes está chegando. Durante estas últimas semanas de escola, a instrução de rotina é muitas vezes deixada de lado para completar as avaliações obrigatórias. Embora horários especiais sejam desenvolvidos em cada prédio da escola para que os alunos tenham ampla oportunidade de concluir suas avaliações, muitas vezes surgem grandes blocos de tempo que não são preenchidos e não planejados, resultando em muito tempo de inatividade e tédio. Como os professores podem usar esses momentos imprevistos para envolver os alunos sem o uso de dispositivos digitais, que muitas vezes não estão disponíveis durante as provas? Aqui estão algumas ideias livres de tecnologia para manter os alunos alegremente ocupados quando ocorre o atraso.

Senha Secreta

Para jogar este jogo, os alunos se dividiram em duas equipes. O professor desempenha o papel de “Especialista em Palavras” e apresenta uma nova palavra para cada rodada do jogo. Para começar, um aluno de cada equipe vem para a frente da sala. Sem revelar a palavra para as duas crianças na frente, a professora mostra para todos os membros da equipe. Em seguida, a primeira equipe solicita que seu companheiro de equipe na “luta quente” adivinhe a palavra fornecendo uma pista de uma única palavra e, em seguida, a próxima equipe faz o mesmo. Por exemplo, se a palavra for “árvore”, a primeira equipe pode dar a pista “folhas”. Se o colega de equipe adivinhar “planta”, a próxima equipe fornece uma pista de uma palavra como “tronco”. Ambas as equipes se revezam indicando seu representante na berlinda até que um deles adivinhe corretamente. Quem acertar a palavra primeiro ganha a rodada, e o jogo pode continuar por quantas rodadas desejar. Certas regras podem ser adicionadas nas séries mais antigas para tornar o jogo mais desafiador, como proibir o uso de gestos ou rimas. À medida que a turma joga esta versão modificada do Taboo, todos se envolvem e colaboram. A melhor parte é que o jogo pode preencher um intervalo de tempo de alguns minutos a quase uma hora. 

Iniciantes da história

Nesta atividade, os alunos escrevem a introdução de uma história com apenas algumas frases em um pedaço de papel. O professor coloca esses “iniciadores de histórias” em uma caixa ou lixeira e, em seguida, os alunos selecionam o pedaço de papel de outra pessoa aleatoriamente. Uma vez que todos tenham um iniciador de história, a turma pode gastar de 10 a 20 minutos (dependendo do tempo disponível) escrevendo uma versão curta da história que desenharam. As histórias não precisam ser produtos acabados quando o tempo de escrita termina; o exercício é mais sobre apreciar o processo. Quando chegar a hora de compartilhar, os alunos podem pedir para ouvir a história que começaram ou se oferecer para ler a que acabaram escrevendo. De qualquer forma, a classe vai gostar de ouvir o que aconteceu com todos os diferentes iniciantes da história.

Frase/Imagem

Este jogo é como uma versão escrita de “Telefone”. No topo de uma folha de caderno ou similar, os alunos escrevem seus nomes e uma frase simples e rápida, algo como “O cachorro chorou na chuva”. Em seguida, todos passam seus papéis em uma direção pré-determinada. Diretamente abaixo da frase, o professor pede aos alunos que desenhem uma pequena imagem que represente visualmente a frase. É importante ressaltar que não é hora de ser um grande artista: o objetivo é a clareza, então bonecos de palito são ótimos. Em seguida, todos os alunos dobram o papel em que estão trabalhando para que apenas a imagem fique visível. Eles passam os papéis novamente e, desta vez, todos veem apenas uma foto. Os alunos escrevem uma frase embaixo da imagem para descrever o que estão vendo e dobram a imagem para que apenas a frase fique visível. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

No final da atividade (geralmente quando a frente e o verso do papel estão cheios), todos podem devolver o papel em suas mãos ao dono original. Quando os alunos examinarem a frase original que escreveram e verem todas as imagens e frases subsequentes, ficarão surpresos e extremamente emocionados com a evolução tola de suas ideias originais. Os alunos muitas vezes se voluntariam para compartilhar suas primeiras e últimas frases, que todos apreciarão porque os resultados são quase sempre hilários.

Anti-Piadas

Escrever piadas divertidas é difícil de fazer em um curto período de tempo. Em vez disso, incentive os alunos a trabalharem juntos em pequenos grupos para escrever as chamadas “Anti-Piadas”, que são projetadas para serem anticlimáticas ou sem sentido e, portanto, engraçadas de uma maneira boba. Eles podem usar formatos comuns de piadas (como uma configuração de toc-toc) para criar um produto, ou podem escrever uma anti-piada narrativa curta que inclua uma história boba e sem objetivo. Os professores provavelmente devem lembrar a todos para manter o conteúdo apropriado e não ofensivo, apenas para garantir que o exercício continue sendo divertido para todos os envolvidos. Quando os alunos terminam de escrever juntos, os grupos se revezam compartilhando. Se o tempo permitir, os alunos também podem estar dispostos a contar algumas piadas que já sabem que são aprovadas pela escola, apenas para fazer todos rirem antes ou depois de uma avaliação estressante.

Concurso de Letras de Fantasmas

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Escrever músicas dificilmente é trabalho de um momento, mas pegar uma melodia que já existe e fornecer uma nova letra (ou seja, uma letra “fantasma”) é muito mais factível. Para os alunos mais novos, é aconselhável usar uma música simples como “Parabéns a você”, enquanto os alunos mais velhos (ensino médio e acima) podem escolher músicas da cultura pop para trabalhar. Nas séries secundárias, uma vez que a classe selecionou uma música, os grupos começam a escrever novas letras e depois tocá-las ou compartilhá-las. Pode até se tornar uma competição de realidade simulada, com diferentes grupos disputando um prêmio ou título. Para as crianças mais novas, toda a turma pode trabalhar em conjunto com o professor para fazer uma nova letra de música, talvez baseada em um tema que todos gostem. O importante é que o exercício seja colaborativo e prazeroso,

Todas essas atividades podem ser ajustadas para a série apropriada, exigem materiais que são encontrados em qualquer sala de aula média e têm o potencial de criar muitas lembranças felizes de final de ano. É verdade que o teste geralmente é um teste, mas professores e alunos ainda podem encontrar maneiras de se conectar quando esses atrasos não programados se infiltram em um dia cheio de avaliações. Acima de tudo, vale lembrar que maio pode vir com testes, mas também vem com flores. 








Você pode gostar