Jornal de Brasília

Informação e Opinião

Blogs e Colunas

O perigo das políticas escolares desatualizadas

As escolas devem revisar periodicamente as políticas para permanecerem relevantes e eficazes no atendimento às necessidades de suas comunidades

Por Philip Ferreira 03/05/2023 9h44
Foto: Andrea Piacquadio/Pexels

Do atendimento ao bullying, as políticas escolares são um componente crucial de qualquer instituição educacional, pois fornecem um conjunto de regras e diretrizes para governar o comportamento dos alunos e funcionários. Mas algumas dessas políticas podem ficar desatualizadas?

Políticas escolares desatualizadas podem ser prejudiciais ao ambiente de aprendizagem, criando obstáculos e restrições desnecessárias que prejudicam a capacidade de alunos e educadores. As escolas devem revisar periodicamente as políticas para permanecerem relevantes e eficazes no atendimento às necessidades de suas comunidades.

Chegue à raiz do problema

As políticas de tolerância zero da escola são medidas disciplinares estritas que impedem e punem o mau comportamento do aluno. Essas políticas geralmente envolvem punições automáticas e predeterminadas para infrações específicas, independentemente das circunstâncias do incidente. 

As políticas de tolerância zero podem ser excessivamente severas e levar a punições injustas, principalmente para alunos marginalizados que podem ser mais propensos a serem alvo de tais políticas. 

Algumas escolas começaram a reconsiderar suas políticas de tolerância zero e, em vez disso, adotaram uma abordagem mais matizada e restauradora da disciplina. Essa abordagem envolve trabalhar com alunos que se comportam mal para entender os problemas subjacentes que podem ter levado ao seu comportamento e ajudá-los a desenvolver as habilidades e ferramentas necessárias para fazer melhores escolhas no futuro. 

As escolas podem criar um ambiente de aprendizado positivo e inclusivo adotando uma abordagem mais individualizada e de apoio à disciplina.

Atenda ao único

O ensino de tamanho único refere-se a uma abordagem educacional na qual os professores usam os mesmos métodos e materiais de ensino para todos os alunos, independentemente de suas necessidades e estilos individuais de aprendizagem. Embora essa abordagem possa ser eficiente para os professores, ela pode ser prejudicial para os alunos com necessidades únicas de aprendizado ou suporte adicional. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Os alunos que lutam com o ritmo ou os métodos de instrução podem ficar desengajados ou desencorajados, levando a um menor desempenho acadêmico e a uma atitude negativa em relação ao aprendizado.

Muitos educadores começaram a adotar abordagens de ensino diferenciadas e personalizadas, reconhecendo os pontos fortes, necessidades e interesses de cada aluno e adaptando a instrução de acordo. Os educadores podem criar uma experiência de aprendizado mais envolvente e eficaz, fornecendo aos alunos várias oportunidades, materiais e métodos de aprendizado.

Abraçar telefones

Muitas escolas proibiram o uso de telefones celulares, mas existem maneiras de aproveitar o poder da tecnologia móvel para aprimorar o aprendizado. 

Uma maneira de integrar os celulares na sala de aula é usar aplicativos educacionais, questionários interativos e livros didáticos digitais. Essas ferramentas podem ajudar a tornar o aprendizado envolvente e interativo, permitindo que os alunos explorem conceitos complexos de forma mais significativa.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Outra forma de incorporar os telefones móveis na aprendizagem é usá-los como uma ferramenta de colaboração e comunicação. Os alunos podem usar seus telefones para colaborar em projetos de grupo, compartilhar recursos e se conectar com colegas e professores. Isso pode promover um senso de comunidade e promover habilidades de trabalho em equipe essenciais para o sucesso na escola e no mercado de trabalho. 

Testes padronizados

Os testes padronizados há muito fornecem uma maneira de medir o desempenho dos alunos e responsabilizar as escolas pelo desempenho acadêmico. No entanto, há uma preocupação crescente de que os testes padronizados sejam uma medida imprecisa do aprendizado do aluno. Os críticos argumentam que os testes padronizados enfatizam habilidades de memorização e realização de testes, em vez de pensamento crítico, criatividade e habilidades de resolução de problemas. 

Não podemos esquecer como esses testes podem gerar estresse e ansiedade significativos para os alunos, impactando negativamente seu desempenho acadêmico e bem-estar geral.

As escolas devem revisar as políticas de testes padronizados e adotar abordagens mais holísticas para avaliar o aprendizado dos alunos. Isso significa afastar-se das pontuações dos testes e incorporar vários métodos de avaliação, como aprendizado baseado em projetos, portfólios de alunos e observações de professores. Ao usar várias medidas de desempenho do aluno, as escolas podem obter uma compreensão mais abrangente do aprendizado do aluno e fornecer uma imagem mais precisa do desempenho acadêmico.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE






Você pode gostar