fbpx
Siga o Jornal de Brasília

Do Alto da Torre

Vacina: Arlete Sampaio cobra mais agilidade do governo

“Não podemos mais ficar esperando o governo resolver isso”, afirma a distrital

Avatar

Publicado

em

PUBLICIDADE

Hylda Cavalcanti e Catarina Lima
[email protected]

Ao comentar sobre as confusões e dúvidas discutidas nos últimos dias entre parlamentares e governadores sobre a vacina para a covid-19, a deputada distrital Arlete Sampaio (PT/foto) cobrou ontem na sessão da Câmara Legislativa do DF (CLDF) uma união de vários setores por um plano correto de imunização para o Brasil.

Pressa – Médica sanitarista, Arlete reclamou das medidas que têm sido anunciadas para a aquisição da vacina, que segundo ela têm deixado várias lacunas. “Não podemos mais ficar esperando o governo resolver isso”, pediu.

Esforço – A distrital disse que todos os órgãos precisam agir, desde o STF, passando pelo Congresso Nacional e governos estaduais. “Só assim conseguiremos adotar as medidas necessárias que a população precisa e espera”, frisou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Eficiência

O deputado distrital Jorge Vianna (Podemos), outro distrital que é da área de Saúde, também falou sobre a vacina durante a sessão. Ele disse que vê com cuidado vários itens da discussão e tem a opinião de que “não há garantia de eficiência de qualquer vacina que não passar pela Anvisa”.

Expertise – “Enquanto a Anvisa não liberar, não poderemos aprovar qualquer vacina. A agência tem a expertise dos técnicos para saber se a vacina é boa. Se cada governador decidir comprar uma diferente, continuaremos sendo um avião sem piloto. Cada um fará de um jeito e isso não pode acontecer”, destacou.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Imunização – Vianna também demonstrou ceticismo quanto ao tempo para que todos fiquem imunizados. “Não acho que com a vacina chegando em fevereiro, até março estará todo mundo imunizado aqui no DF. Sabemos das dificuldades da secretaria de Saúde”, disse. Seu prognóstico é de que serão necessários três a quatro meses para imunizar a população.

Marielle

O deputado distrital Fábio Félix (Psol) lembrou ontem, na CLDF, a passagem de mil dias do assassinato da vereadora do Rio de Janeiro Marielle Franco, do Psol. E aproveitou para reclamar do absurdo que é o fato do crime ainda não ter sido esclarecido.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Relevância – “Nós sequer sabemos quem foi responsável por essa execução. Não temos justiça neste país”, reclamou. Felix disse que o Psol está lembrando a data em todo o Brasil. “A pauta de Marielle e sua história são muito importantes para nós”, explicou.

Neutro

O deputado federal Julio Cesar Ribeiro (Republicanos-DF), apresentou projeto de lei que proíbe a utilização de gênero neutro na língua portuguesa. O objetivo, segundo ele, é um só: fortalecer o padrão da norma culta do português sem ferir os movimentos existentes, “evitando o comprometimento do ensino nas escolas e a desconstrução da linguagem”.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
>

Trans – A possibilidade da utilização do gênero neutro surgiu com o intuito de incluir pessoas trans, não binarias, intersexo e as que não se identificam com os gêneros masculino e feminino, para fins de aprendizagem e alfabetização. “Considero que em nenhum momento a modificação da língua portuguesa poderá beneficiar ou minorar os preconceitos existentes. O que precisamos é fortalecer o padrão da norma culta do português, como se tem feito desde a sua fundação”, defende.

Bibliotecas

O deputado distrital Claudio Abrantes (PDT) tem trabalhado para a instalação de novas bibliotecas públicas no Distrito Federal. Uma equipe do seu gabinete participou de reunião com integrantes da secretaria de Cultura, ontem, para tratar do tema.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Mapeamento – Abrantes ficou de encaminhar ofício à pasta pedindo a realização de mapeamento, em todo o DF, de áreas culturais onde possam ser construídas as novas bibliotecas. Ele também ficou de consultar a Novacap sobre avaliação do custo orçamentário para o projeto.

Procura – “Apesar de todos os recursos tecnológicos, as bibliotecas ainda são amplamente procuradas. Prova disso é o fato de sermos acionados pela comunidade em busca de apoio para a implantação de mais unidades desse equipamento público”, destacou o parlamentar.

Lançamento

A Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público (Servir Brasil), que tem como presidente o deputado Israel Batista (PV-DF), está lançando hoje o seu último caderno de estudos voltados para a racionalização da estrutura estatal e melhora do desempenho institucional do setor público brasileiro.

Fonacate – As publicações, 16 no total, serão agora transformadas em livro. Foram produzidas pelo Fonacate com o apoio da Frente. O exemplar de hoje é de autoria dos economistas Victoria Evellyn C. Moraes Sousa e José Celso Cardoso Jr.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

“Qualidade” – Para o deputado, o trabalho “reafirma o caráter da Servir Brasil de produtora de conteúdo de qualidade”. Segundo Batista, “num debate importante como o da reforma administrativa é necessário tomar decisões baseadas em evidências e em dados sérios e bem embasados”.

Banco de dados

Para marcar o Dia Internacional Contra a Corrupção, hoje, o CNJ anunciou que está montando, em conjunto o CNMP, mecanismos para compartilhamento de um bancos de dados entre todos os atores estatais responsáveis por ações de “prevenção, detecção e repressão à corrupção, lavagem de dinheiro e financiamento do terrorismo”.

Movimentação – O projeto faz parte das 11 ações anunciadas na última sexta-feira (4) pela Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla). O Enccla integra 90 entidades contra estes crimes. De acordo com o Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), em todo o mundo, esse tipo de ilicitude movimenta US$ 3,6 trilhões.




Leia também


Publicidade
Publicidade
Publicidade